segunda-feira, 9 de junho de 2014

Balé da Opera de Paris apresenta criação de futuro diretor







A música
 de um dos compositores franceses mais importantes da música clássica: Maurice Ravel. A cenografia é do francês Daniel Buren, um dos artistas plásticos mais conceituados do momento. A coreografia é de Benjamin Millepied, francês que fez carreira no New York City Ballet e que em outubro assume a direção de dança do balé da Opera de Paris. O espetáculo, com esses ingredientes, é “Daphnis et Chloé”, em cartaz na Opera da Bastilla, em Paris.
A encomenda para a coreografia foi feita bem antes da indicação de Millepied para liderar a companhia de dança. A nomeação, em janeiro, provocou algumas reticências, principalmente em relação à carreira do artista, construída praticamente nos Estados Unidos, para onde Millepied foi aos 16 anos e se tornou um dos solistas do New York City Ballet.
Mas as críticas incensaram Millepied e o público exigente aplaude com entusiasmo o balé do futuro diretor da companhia. O fato de Millepied ser casado com uma atriz hollywoodiana – Nathalie Portman – virou apenas um detalhe. Eles se conheceram durante as filmagens de “Cisne Negro”, coreografado pelo francês.
Romance pastoral grego
Poucas vezes encenado, “Daphnis et Chloé” conta a história de amor pastoral, passeada em um romance grego do século 2. A música foi encomendada a Ravel por Sergei Diaghilev para os Balés Russos e estreou no Teatro do Chatelet, em Paris, em 1912. Nessa produção, com coreografia de Michel Fokine, o mítico bailarino russo Nijinski foi Daphnis. Na versão parisiense, Aurélie Dupont é Chloé e Hervé Moreau é o pastor Daphnis.
A leveza e a sensualidade da coreografia de Millepied se fundem na cenografia geométrica e de cromoterapia de Daniel Buren, que não dispensa as listras verticais negras, uma espécie de marca registrada do artista. Em Paris, Buren é o autor da instalação permanente de colunas de varias alturas no Palais Royal, do lado da Comédia Francesa. A orquestra da Opera de Paris é conduzida por Philippe Jordan.
Criador e criatura
O balé de Millepied vem na segunda parte, após “O Palácio de Cristal”, primeira criação de George Balanchine para o balé da Opera de Paris, de 1947. A coreografia original com musica de Bizet ganha literalmente cores com os tutus cintilantes do estilista Christian Lacroix. Balanchine foi o fundador do New York City Ballet, companhia da qual Millepied foi solista de 1995 a 2011.
 
TAGS : BALÉ - ÓPERA - PARIS

Pedro Henrique Pupa

Flórida - O paulistano Pedro Henrique Pupa,

 integrante da companhia de dança norte-americana Sarasota Ballet, morreu após ter sido atropelado por um caminhão de entrega na cidade de Sarasota, na Flórida, na quarta-feira.


O acidente ocorreu por volta das 14h na via Bay Shore Road, em frente ao museu The Ringling. Segundo Camilla Pupa, tia e ex-professora do rapaz, Pedro voltava de bicicleta para casa após uma aula quando foi atingido. Ele chegou a ser levado ao hospital Blake Medical Center, em Bradenton, mas não resistiu aos ferimentos. O bailarino completaria 21 anos no próximo dia 29 de junho.



Centro Olga Cadaval Russian Classical Ballet interpreta 'Romeu e Julieta'







O clássico 'Romeu e Julieta' foi interpretado pela companhia Russian Classical Ballet no sábado, às 21h30, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, anunciou hoje a organização.

Fundada em 1990, a companhia reuniu na altura bailarinos de outras entidades de renome da dança, não só da Rússia, como o Bolshoi Ballet, mas também de repúblicas da antiga União Soviética, como o Ballet Theatres da Ucrânia e da Moldávia  .
Iryna Klyuyeva, Sergey Chumakov, Maria Poliudova, Dmitri Smirnov e Vladimir Statnii são alguns dos bailarinos que fazem parte da companhia.
O Russian Classical Ballet tem a sua base em Moscovo, onde se encontram os estúdios de dança e também os ateliês de criação dos figurinos para os espetáculos, que recebem as encomendas de outras companhias de bailado.
A companhia tem vindo a realizar digressões no Reino Unido, Irlanda, Austrália, Nova Zelândia e China.


Bailado em três atos e um epílogo, 'Romeu e Julieta' conta a história do amor trágico entre dois jovens que cresceram em duas famílias rivais.
Foi escrita pelo dramaturgo britânico William Shakespeare, em 1579, e é considerada a obra de referência para alguns dos grandes coreógrafos que a adaptaram para o bailado, sobretudo devido à música de Sergei Prokofiev, escrita em 1935, pouco após o seu regresso à União Soviética.

Fonte :06 de Junho de 2014 | Por 

Crianças encontram no ballet uma ferramenta para o autoconhecimento


Ser bailarina é o sonho de muitas garotinhas. Os tutus, maiôs e sapatilhas fazem parte do universo imaginário e cheio de magia de crianças de cinco a dez anos. E é essa é a fase ideal para iniciar o aprendizado na arte de dançar ballet.
A experiência do ballet na infância promove o aprendizado de noções de espaço e conscientização do próprio corpo. “Os aspectos explorados em uma classe de dança para crianças são os que envolvem o corpo no tempo e no espaço, no qual as crianças aprendem a usar esses elementos para expressar-se artisticamente; a organizar o corpo, a fim de mover-se de maneira eficiente e saudável, bem como a fazer escolhas de movimento, interagindo com a forma, estrutura e significados destes.” Comentou Noemi Loureiro, professora da Escola de Ballet SESI de Alagoas.
dança se difere de outros esportes por ser uma arte de expressão, com movimentos lúdicos que despertam sentimentos e emoções, pois a sincronia dos movimentos permite sensações de alegria, “e também é divertida,” acrescentou Carla Oliveira, (09 Anos) estudante de ballet desde os cinco anos. Os benefícios da atividade ultrapassam apenas a ação pedagógica do aprender, entra também no campo psicológico ajudando no crescimento físico, mental e emocional. Além da expressão corporal, também trabalha flexibilidade, coordenação motora e ajuda a melhorar a postura.
“Aqui na escola, nós preocupamos com o desenvolvimento completo das bailarinas mirins, sempre promovemos atividades extras, com a leitura em grupo ao final das aulas, são histórias relevantes ao ballet, o que faz despertar ainda mais o amor pela dança. A iniciativa visa além de trabalhar o imaginário, beneficiar o desenvolvimento das crianças contribuindo para a memória, o raciocínio, a curiosidade e a criatividade.” Mencionou Noemi que também é pedagoga.
Pensando nesse público tão especial a Escola de Ballet SESI Alagoas inicia nesta terça-feira, dia três de junho, mais uma turma de ballet infantil. As mães que tiverem interesse em proporcionar essa experiência as suas pequenas podem marcar uma aula inicial gratuita. É só ligar 9139.0885, ou enviar um email para balletsesi@ol.com.brsolicitando agendamento. As matriculas estão abertas até julho. 

Fonte :aquiacontece.com.br