terça-feira, 29 de janeiro de 2008

"Ammanda Rosa em D. Quixote"



***ESPECIAL ACADEMIA DE BALLET***




*Apresenta Curso Russo 2008*

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

VALE A PENA CONFERIR!


O Lago dos Cisnes

O Lago dos Cisnes é um balé dramático em quatro atos do compositor russo Tchaikovsky e com o libreto de Vladimir Begitchev e Vasily Geltzer. Sua estréia ocorreu no Teatro Bolshoi em Moscou no dia 20 de fevereiro de 1877, mas a sua estréia foi um fracasso não por causa da música, e sim, pela má interpretação da orquestra e dos bailarinos, assim como a coreografia e a cenografia. O balé foi encomendado pelo Teatro Bolshoi em 1876 e o compositor começou a escrevê-lo logo em seguida. O balé estreiou no ano seguinte.


Personagens

Principe Siegfried
Odette
A Rainha
Mago Rothbart
Feiticeira Odile
Cisnes Brancos
Convidados


Sinopse

Ato I
No castelo realiza-se com toda a pompa o aniversário do príncipe Siegfried. A rainha oferece ao filho como presente um arco e flechas e pede-lhe que, no dia seguinte, escolha uma esposa entre as convidadas da festa. Quando os convidados saem do castelo, um grupo de cisnes brancos passam perto do local. Enfeitiçado pla beleza das aves, o príncipe decide caçá-las.

Ato II
O lago do bosque e as suas margens pertencem ao reino do mago Rothbart, que domina a princesa Odette e todo o seu séquito sob a forma de uma ave de rapina. Rothbart transformou Odette e as suas donzelas em cisnes, e só à noite lhes permite recuperarem a aparência humana. A princesa só poderá ser libertada por um homem que a ame apenas ela. Siegfried louco de paixão pela princesa das cisnes, jura que será ele a quebrar o feitiço do mago.

Ato III


Na corte da Rainha aparece um nobre cavalheiro e sua filha. O princepe julga reconhecer que a filha do nobre cavalheiro Odile é a sua amada Odette, mas na realidade por baixo das figuras do nobre cavalheiro e a sua filha escondem-se o mago Rothbart e a feiticeira Odile. A dança com o cisne negro decide a sorte do principe e da sua amada Odette: enfeitiçado por Odile, Siegfried proclama que escolheu Odile como sua bela futura esposa, quebrando assim o juramento feito a Odette.

Ato IV
Os cisnes brancos tentam em vão consolar a sua princesa. Mas Odette destroçada pela decisão do príncipe, aceita a sua má sorte. Nesse momento surge o príncipe Siegfried que explica a donzela como o mago Rothbart e a feiticeira Odile o enganaram. Odette perdoa o príncipe e os dois renovam os votos de amor um pelo o outro. O mago Rothbart, impotente contra esse amor, decide se vingar dos dois e então inunda as margens do lago, Odette e as suas donzelas logo se transformam em cisnes novamente e o príncipe Siegfried tomado pelo desespero se afoga nas profundas e turbulentas águas do lago dos cisnes

Coppélia

Coppélia é um ballet cómico-sentimental com coreografia original de Arthur Saint-Léon, com libretto de Saint-Léon e Charles Nuittier, e música de Léo Delibes. Baseia-se numa história macabra de E.T.A. Hoffmann intitulada "Der Sandmann" publicada em 1815. O ballet estreou a 25 de Maio de 1870 na Ópera de Paris, com Giuseppina Bozzachi no papel principal. Um primeiro momento de sucesso foi interrompido pela Guerra franco-prussiana e pelo cerco de Paris, tornando-se, posteriormente, o ballet mais representado na Opera Garnier.


Sinopse
As personagens principais são: o Doutor Coppelius, Swanilda e Franz. A acção decorre na aldeia de Cracóvia, na Polónia




Ato I
Swanilda, a jovem mais bonita da aldeia, está noiva de Franz.
Certo dia ele fica encantado por uma moça que todas as tardes dedica-se à leitura na janela da casa do Doutor Coppelius, um velho que fabrica brinquedos e com uma reputação de bruxo. Ele faz de tudo para chamar a atenção dela: a chama para descer, convida-a para dançar, manda beijos, mas não obtém reação. Swanilda os flagra e promete vingar-se. Ela acaba por interrogar Franz sobre o acontecido, durante uma discussão.
Muda a cena. Na praça, os camponeses estão a dançar a mazurca enquanto Swanilda e Franz fazem um encontro forçado pelos amigos. Swanilda diz não ouvir o barulho de seu trigo, mas ele insiste que ouve, o que significaria a harmonização do amor entre o casal.
Os jovens e Franz decidem fazer uma brincadeira com doutor Coppelius, na qual sua chave fica caída no chão e Swanilda e suas amigas pegam-na e entram na casa do Doutor coppelius.

Ato II


Interior da casa do dr. Coppelius.
Swanilda descobre que Coppelia, a tal moça dedicada à leitura, na realidade é uma boneca. Nesse momento, o dr. Coppelius entra e flagra as moças, que fogem, mas Swanilda permanece escondida na varanda de Coppelia e resolve vestir sua roupa e fingir ser a boneca. Varios bonecos e bonecas dançam: escocesas, espanholas, arlequins, etc.
Doutor coppelius, intencionando insuflar vida a Coppelia e não percebendo ser Swanilda, começa a realizar mágicas. Pensa ter conseguido quando Swanilda dança, mas ao teimar com o velho e mexer nos bonecos, é mandada para a varanda de volta.
Franz invade a casa atrás de Coppelia e swanilda e ele se encontram. Tanto Franz quanto doutor coppelius descobrem a verdade.


Ato III


Na aldeia, celebra-se o casamento de Swanilda e Franz. Após a noiva jogar o buquê, o Dr. Coppelius aparece se queixando da destruição de seus bonecos. Os noivos lhe dão então o dote de Swanilda como indenização. Ele vai embora satisfeito. Os noivos e depois todos os convidados dançam, finalizando a peça.

O Quebra Nozes (Ballet)

Shchelkunchik
Nome em português
O Quebra-Nozes
Idioma original
-
Compositor
Pyotr Ilyich Tchaikovsky
Libretista
Lev Ivanov
Tipo do enredo
Fantasia
Número de atos
2
Número de cenas
3
Ano de estreia
17 de dezembro de 1892
Local de estreia
Teatro Mavrinsky em São Petersburgo na Rússia


Щелкунчик (Shchelkunchik que para o português significa Quebra-Nozes) é um dos três balés que Tchaikovsky compôs.

Sinopse

Ato I

O balé se passa na casa de Clara numa noite de Natal.
O balé conta uma história onde a fantasia e magia, típicas de um romantismo, contam as aventuras de um quebra-nozes de aparência humana, vestido como um soldado, mas que tem as pernas e a cabeça de tamanho desmensurado. A heroína, Clara, gostava tanto da sua aparência que o pediu como presente de natal ao seu padrinho. Assim o padrinho Herr Dosslmeyer fabricante de relógios disse "Era precisamente para ti", logo em seguida Clara experimenta-o e vê que ele quebra as nozes sempre sem perder o seu sorriso e também com grande eficácia. Seu irmão Fritz, que tinha visto como o quebra-nozes funcionava, também quis usá-lo, mas escolhe as nozes maiores que havia no cesto. Então o quebra-nozes, sendo usado grosseiramente pelo irmão dela, acaba por se quebrar, com vários dentes perdidos e as mandíbulas desencaixadas. Diante das reclamações da pobre Clara, seu pai o juiz Stahlbaun, entrega à filha o seu quebra-nozes como propriedade exclusiva, tendo Fritz que sair para brincar com os seus brinquedos. Logo em seguida Clara pega no chão os dentes do quebra-nozes e o consola abraçando-o em seus braços até ele dormir e Clara também dormir. Com o adormecimento Clara sonha... Clara volta ao esconderijo onde havia colocado o seu quebra-nozes, mas encontra o salão cheio de ratazanas enormes que o seu padrinho Dosselmeyer criou. A casa desapareceu e no lugar onde ficavam os móveis estavam árvores gigantescas. Não foi só isso que mudou; o Quebra-Nozes de Clara agora é um soldado de carne e osso e que tem às suas ordens um pelotão de soldados como ele. Começa uma batalha entre as ratazanas e o pelotão do Quebra-Nozes. Jogando enormes sapatos até às ratazanas, os soldados vencem a batalha, e com isso o rei das ratazanas e também as suas ratazanas fogem rapidamente. O bosque se transforma numa linda estufa de inverno. E o Quebra-Nozes transforma-se num lindo príncipe que leva Clara até o Reino das Neves, onde apresenta ao rei a rainha a menina e dançam juntos.


Ato II


No início do 2º ato Clara e o príncipe Quebra-Nozes despedem-se e seguem para o Reino dos Doces pelo Caminho da Limonada, onde pastéis de todos os reinos do mundo dançam com os dois. Depois deste sonho tão mágico e fantástico Clara acorda e percebe que havia sonhado,ficando triste por isso. Deste modo, vai se despedir do padrinho mago, que tinha ido para casa na companhia do sobrinho.Então, para surpresa de Clara, o tal sobrinho é na verdade o príncipe Quebra-Nozes. Assim acaba o 2º Ato.

Outros danças de outros países

Danças da Itália

Tarantela



Da China


Dança do dragão



Dos Estados Unidos


Fernando Bujones

Momix

Pierre Dulaine


Da França

Ballets Russes


De Israel

Hora (dança)



da Polônia

Cracoviana

Polonesa

Danças da Espanha

Flamenco

Sardana

Danças do Brasil

Araruna (dança)
Afoxé
Axé

Baião
Batuque Paulista
Bumba-meu-boi
Bossa Nova


Caboclinho
Cacuriá
Calango (música)
Capoeira
Carimbó
Cateretê
Cavalo Marinho
Chimarita
Coco-de-Roda
Coco Zambê ou Zambê
Congada
Cumcumbi


Fandango
Forró
Frevo


Jongo


Lambada
Lundu


Maracatu Nação
Maracatu Rural
Maculelê
Maxixe


Pagode
Pastoril
Pau de Fitas


Quilombo (dança)


Rasqueado
Ratoeira
Reisado


Samba
Samba de Gafieira
Samba de Roda
Siriri (dança)

Tambor de Crioula
Tambor de Mina


Vanerão


Xaxado
Xote

Ballets Russes

O Ballets Russes foi uma companhia de ballet emigrada da Rússia, com sede em Paris, cuja atividade manteve-se de 1909 a 1929.

O Ballets Russes começou em 1909 como um teatro de verão do Ballet e ópera russos para se transformar em uma companhia de balé permanente em 1911. Serguei Diaghilev, apesar de nunca ter sido bailarino profissional, conseguiu convencer os melhores coreógrafos, dançarinos e designers da sua época. Ele contratou, entre outros, o compositor russo Igor Stravinsky, o artista espanhol Pablo Picasso, o artista francês Henri Matisse e o poeta e cineasta francês Jean Cocteau. Entre os dançarinos, contou com Anna Pavlova, Tamara Karsavina, George Balanchine e Vaslav Nijinski.

Assim, com colaboradores que compunham o melhor da época em suas respectivas atividades, a companhia Ballets Russes redefiniu a noção de balé durante seus 20 anos de atividade.

"Balés de Repertório"

Os mais famosos Balés de repertório:

O Quebra Nozes
Coppélia
O Lago dos Cisnes
Don Quixote
La Fille Mal Gardée
Giselle
A Bela Adormecida
La Sylphide
La Bayadère
Sylvia
Paquita

"Lista de Bailarinos Famosos "

Cecilia Kerche
Jaime Arôxa
Alexandra Ferri
Ana Botafogo
Anna Pavlova
Fernando Bujones
Fabricia Marques
Vaslav Nijinski
Dame Margot Fonteyn
Mikhail Baryshnikov
Pedro Romeiras
Rudolf Nureyev
Carla Fracci
Marcia Haydée
Rudolf Nureyev
Sylvie Guillem
Tatiana Leskova
Paulo Magalhães
Robert Delirom
Rui Moreira
Paloma Herrera
Carlinhos de Jesus
Sara Figueira
Victor Navarro Capell

"Lista de Coreógrafos famosos"

Jaime Arôxa
William Forsythe
Pina Bausch
Merce Cunningham
Maria Duschenes
Martha Graham
Valter Ribeiro
Maurice Béjart
Paulo Franco
George Balanchine
Marius Petipa
Carlinhos de Jesus
Victor Navarro Capell

" Lista de danças"

Ballet
Batuque
Be Bop
Break Dance
Bolero
Bossa Nova
Calypso
Carimbó
Chá Chá Chá
Dança Antiga
Dança contemporânea
Dança Folclórica
Dança popular tradicional
Dança Medieval
Dança Moderna
Dança de Rua
Dança de salão
Dança do ventre
Dance Music
Descarga
El Son
Flamenco
Forró
Funk
Habanera
Hip Hop
Lambada
Lundum
Mambo
Merengue
Milonga
Pagode
Pasodoble
Polca
Quick Step
Reggae
Rock And Roll
Rumba
Salsa
Samba
Sapateado
Soca
Tango
Valsa
Xote
Jazz

" Estilos e forma"

Mazurca: Dança de origem polaca. Andamento Moderado, compasso 3 4. São muito tocadas as mazurcas para piano de Chopin.
Gavota: Dança francesa. Compasso 2 2. Seus períodos e frases devem sempre começar em tempo fraco. Andamento Moderado.
Sarabanda: Dança espanhola. Compasso ternário. Andamento Grave. A melodia deste gênero musical geralmente é sempre muito ornamentada.
Chula: Dança portuguesa. Compasso binário. Modo maior. Costumam cantar enquanto dançam, e utiliza-se o estalo dos dedos para poder acompanhar o ritmo.
Pavana: Dança original de Pádua (Itália), de compasso binário.
Minueto ou Menuetto: Antiga dança francesa, muito usada no Século XVIII. Se compasso é o 3 4 e a música deve ser cheia de graça cerimoniosa que esta dança representa. Andamento Moderado.


Cênicas
Dança Medieval
Balé
Dança Moderna
Dança contemporânea
Dança Bharathanatyam
Jazz Dance


Sociais

Dança popular tradicional
Dança de salão
Dança do ventre
Dança de Rua

Balés de repertório


O Lago dos Cisnes
O Quebra Nozes
A Bela Adormecida
Don Quixote
Giselle
Romeu e Julieta
La Sylphide
Coppélia
Petrushka
Spartacus
A Sagração da Primavera
Pássaro de Fogo
Harlequinade
La Fille Mal Garde
La Bayadère
Satanela
Paquita
Diana e Acteon
Chamas de Paris
Le Espctre De La Rose
Le Corsarie
Les Sylphides
La Esmeralda

" A Dança e a Educação"

Verderi considera a educação como evolução e transformação do indivíduo, considerando a dança como um contínuo da Educação Física, expressão da corporeidade e considerando o movimento um meio para se visualizar a corporeidade dos nossos alunos, a dança na escola deve proporcionar oportunidades para que o aluno possa desenvolver todos os seus domínios do comportamento humano e, através de diversificações e complexidades, o professor possa contribuir para a formação de estruturas corporais mais complexas.
Por estes motivos, segundo Nanni (1995), deve-se trabalhar a dança na escola pois ela estabelece limites usando os movimentos, isso viabiliza a possibilidade de estruturação da personalidade e da socialização, pois leva o indivíduo saber o que ele é, sua relação com o objeto e a nível social e pessoal.
O ensino da dança nas escolas brasileiras deve ser abordado dentro do conteúdo Artes, (Teatro, Música, Dança e Artes Plásticas) segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais (fonte www.mec.gov.br). A abordagem da dança dentro do contexto da educação física deve auxiliar no preparo físico para que os profissionais de artes possam atuar.

"História da Dança "

A história da dança cênica representa uma mudança de significação dos propósitos artísticos através do tempo.
Com o Balé Clássico, as narrativas e ambientes ilusórios é que guiavam a cena. Com as transformações sociais da época moderna, começou-se a questionar certos virtuosismos presentes no balé e começaram a aparecer diferentes movimentos de Dança Moderna. É importante notar que nesse momento, o contexto social inferia muito nas realizações artísticas, fazendo com que então a Dança Moderna Americana acabasse por se tornar bem diferente da Dança Moderna Européia, mesmo que tendo alguns elementos em comum.
A dança contemporânea surgiu como nova manifestação artística, sofrendo influências tanto de todos os movimentos passados, como das novas possibilidades tecnológicas (vídeo, instalações). Foi essa também muito influenciada pelas novas condições sociais - individualismo crescente, urbanização, propagação e importâncias da mídia, fazendo surgir novas propostas de arte, provocando também fusões com outras áreas artísticas como o teatro por exemplo.

" A Dança "


A dança é uma das três principais artes cênicas da Antigüidade, ao lado do teatro e da música. Caracteriza-se pelo uso do corpo seguindo movimentos previamente estabelecidos (coreografia), ou improvisados (dança livre). Na maior parte dos casos, a dança, com passos cadenciados é acompanhada ao som e compasso de música e envolve a expressão de sentimentos potenciados por ela.

A dança pode existir como manifestação artística ou como forma de divertimento e/ou cerimônia. Como arte, a dança se expressa através dos signos de movimento, com ou sem ligação musical, para um determinado público, que ao longo do tempo foi se desvinculado das particularidades do teatro.

Atualmente, a dança se manifesta nas ruas em eventos como "Dança em Trânsito", sob a forma de vídeo, no chamado "vídeodança", e em qualquer outro ambiente em que for contextualizado o propósito artístico.