sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Anna Pavlova

Anna Matveievna Pavlova (São Petersburgo, 12 de fevereiro de 1881 — A Haia, 23 de janeiro de 1931) foi uma bailarina russa, de talento e carisma excepcionais que fascinou o mundo da dança no fim do século XIX e na primeira metade do século XX. Seu extraordinário talento e suas interpretações extremamente pessoais deram um novo sentido ao balé clássico. Também era conhecida como Anna Pavlovna Pavlova.

Anna Pavlova

O flamenco é um estilo musical e um tipo de dança fortemente influenciado pela cultura cigana, mas que tem raízes mais profundas na cultura musical mourisca, influência de árabes e judeus. A cultura do flamenco é associada principalmente a Andaluzia na Espanha, e tornou-se um dos ícones da música espanhola e até mesmo da cultura espanhola em geral.

O "novo flamenco" é uma variação recente do flamenco que sofreu influências da música moderna, como a rumba, a Salsa, o pop, o rock e o jazz.

Originalmente, o flamenco consistia apenas de canto (cante) sem acompanhamento. Depois começou a ser acompanhado por guitarra (toque), palmas, sapateado e dança (baile). O “toque” e o “baile” podem também ser utilizados sem o “cante”, embora o canto permaneça no coração da tradição do flamenco. Mais recentemente outros instrumentos como o “cájon” (uma caixa de madeira usada como percussão) e as castanholas foram também introduzidos.

Muitos dos detalhes do desenvolvimento do flamenco foram perdidos na história da Espanha e existem várias razões para essa falta de evidências históricas:
Os tempos turbulentos dos povos envolvidos na cultura do flamenco. Os mouros, os ciganos e os judeus foram todos perseguidos e expulsos pela inquisição espanhola em diversos tempos durante a “Reconquista”
Os ciganos possuíam principalmente uma cultura oral. As suas músicas eram passadas às novas gerações através de actuações em comunidade
O flamenco não foi considerado uma forma arte sobre a qual valesse a pena escrever durante muito tempo. Durante a sua existência, o flamenco esteve dentro e fora de moda por diversas vezes.
Granada, o último reduto dos mouros, caiu em 1492, quando os exércitos de Fernando II de Aragão e Isabel I de Castela (os reis católicos) reconquistaram esta cidade após cerca de 800 anos de domínio muçulmano. O Tratado de Granada foi criado para assegurar as bases da tolerância religiosa, conseguindo com isso que os muçulmanos se rendessem pacificamente. Durante alguns anos existiu uma tensa calma em Granada e à sua volta, no entanto, à inquisição não lhe agradava a tolerância religiosa relativamente aos judeus e aos muçulmanos e conseguiu convencer Fernando e Isabel a quebrarem o tratado e a forçar os judeus e os mouros a converterem-se a cristianismo ou deixarem a Espanha de vez. Em 1499, cerca de 50.000 mouros foram coagidos a tomar parte de um baptismo em massa. Durante a rebelião que se seguiu, as pessoas que recusaram baptizar-se ou serem deportadas para África, foram pura e simplesmente eliminadas. Como consequência desta situação, assistiu-se à fuga de mouros, ciganos e judeus para as montanhas e regiões rurais.

Foi nesta situação social e economicamente difícil que as culturas musicais de judeus, ciganos e mouros começaram a fundir-se no que se tornaria a forma básica do flamenco: O estilo de cantar dos mouros, que expressava a sua vida difícil na Andaluzia, as diferentes “compas” (estilos rítmicos), palmas ritmadas e movimentos de dança básicos. Muitas das músicas flamencas aindas reflectem o espírito desesperado, a luta, a esperança, o orgulho e as festas nocturnas durante essa época. Música mais recente de outras regiões de Espanha, influenciaram e foram influenciadas pelo estilo tradicional do flamenco.

A primeira vez que o flamenco foi mencionado na literatura, remonta a 1774 no livro “Cartas marruecas” de José Cadalso. No entanto a origem do termo “flamenco” continua a ser assunto bastante debatido. Muitos pensam que se trata de um termo espanhol que originalmente significava flamengo (“flamende”). Contudo, existem outras teorias. Uma das quais, sugere que a palavra tem origem árabe, retirada das palavras “felag mengu” (que significa algo como “camponês de passagem” ou fugitivo camponês”)

Durante a chamada época de ouro do flamenco, entre 1869 e 1910, o flamenco desenvolveu-se rapidamente nos chamados “cafés cantantes”. Os dançarinos de flamenco também se tornaram numa das maiores atracções para o público desses cafés. Ao mesmo tempo, os guitarristas que suportavam esses dançarinos, foram ganhando reputação e dessa forma, nasceu, como uma arte própria, a guitarra do flamenco. Julián Arcas foi um dos primeiros compositores a escrever música flamenca especialmente para a guitarra.


Pintura de Edouard ManetA guitarra flamenca,e a muito parecida guitarra clássica, é descendente do alaúde. Pensa-se que as primeiras guitarras terão aparecido em Espanha no século XV. A guitarra de flamenco tradicional é feita de madeira de cipreste e abeto, é mais leve e um pouco menor que a guitarra clássica, com o objectivo de produzir um som mais agudo.Em 1922, um dos maiores escritores espanhóis, Federico García Lorca e o compositor de renome Manuel de Falla organizaram a “Fiesta del cante jondo”, um festival de música folclórica dedicada ao “cante jondo”. Fizeram-no a fim de estimular o interesse no flamenco que nessa altura estava fora de moda. Dois dos mais importantes poemas de Lorca, “Poema del cante jondo” e Romancero gitano”, mostram a fascinação que este tinha pelo flamenco.

FLAMINGO

Bailarinos Famosos



Anna Pavlova
Marius Petipa
Mikhail Baryshnikov
Margot Fonteyn
Ana Botafogo
Galina Ulanova
Isadora Duncan
Rudolf Nureyev
Cecília Kerche
Sylvie Guillem
George Balanchine
Maria Taglioni

ESTILOS DE BAILARINA

Tipos fisicos

Longilíneo - Pessoa alta, magra, pouco busto, quadris estreitos, pode usar qualquer modelo de figurino, podendo evitar, naturalmente as listras verticais.
Altura entre 1,70 e 1,75m.

Longilíneo miniatura - Apresenta as mesmas características do tipo físico anterior, porém com 1,60m de altura.

Triangular - Pessoas com ombros e bustos pequenos e, quadris avantajados,
devem evitar saias rodadas, pregas e cintura marcada.

Triangular invertido - Busto desenvolvido, ombros largos e quadris estreitos,
os que possuem estas características esquivem-se das saias justas, mangas bufantes, babados na altura do busto e usar decotes em forma de V.

Simétrico - O tipo que tiver busto e quadris com a mesma medida e a cintura não muito fina, deve fugir das roupas colantes.

Nórdico - Altas e fortes, busto e quadris com a mesma medida, cintura não muito fina, com altura acima de 1,68m, não podem usar roupas cheias de detalhes, nem estampas chamativas.

Cheinho - Linhas bem acentuadas, mas gordinha, não deve vestir roupas que marquem o contorno do corpo
e nem listras horizontais.


(fonte: Revista Você e a Dança - set/out/97. Por Carlos Aguero)

DICIONÁRIO DE BALLET

Double

Écarté

Échappé

Échappé sur les pointes

Effacé, effacée

Élévation

Entrechat

Entrechat six

Épaulement

Exercises à la barre

Extension

Face, en
Face, en
[ahn fahss]
De frente (para o público); É uma das posições bastante habituais do balé clássico, principalmente devido às suas raízes históricas, em que os súditos jamais deveriam dar as costas ao soberano em uma atitude de subserviência ao rei.
Fish dive

Fondu, fondue

Fouetté

Fouetté en tourant

Fouetté rond de jambe en tournant

Francesa, escola

Gateway, the

Glissade

Grand, grande

Italiana, escola

Jambe

Jeté

Jeté battu

Jeté entrelacé

Jeté, grand

Jeté, grand in attitude

Jeté, petit

Labanotation

Leçon (Class)

Ligne

Manèges

Mazurka (mazurek)

Methods

Mime

Neuf

Notation

Ouvert, ouverte

Pas

Pas de bourrée

Pas de bourrée couru

Pas de chat

Pas de deux

Pas de deux, grand

Pas de quatre

Pas de trois

Pas de valse

Pas marché

Penché, penchée

Petit, petite

Pieds, cinq postions des (Five postions of

Piqué

Pirouette

Pirouette à la second, grande

Pirouette piquée

Plié

Pointes, sur les
Pointes, sur les
[sewr lay pwent]
Sobre as pontas. Trabalho de elevação em que o peso do corpo é sustentado pelos dedos ( tarsos ) dos pés sendo protegidos por uma sapatilha própria para tal fim. É uma das conquistas do romantismo no balé, simbolizando o distanciamento do solo e a impressão de "etéreo", busca do sobrenatural, fuga da realidade. Também usado no singular, "sur la pointe." Consta que a primeira bailarina a usar sapatos de ponta como recurso artístico no século XIX, elevando-se sobe os mesmos entre 1820 e 1830 foi Marie Taglioni. Antes desta data, as bailarinas Grosselin e Istomia são apontadas como as pioneiras no uso de pontas. Somente a partir de 1860 é que começaram a aparecer sapatilhas especialmente feitas para este fim, sendo que antes usava-se algodão para fazer o enchimento e proteção dos dedos dos pés pois não haviam sapatilhas especiais. Um dos primeiros balés dançados com pontas foi La Sylphide (1832). O trabalho de pontas, devido ao estigma do romântico, da sensação de levitação, do fragilização da mulher, do distanciamento do solo ( marcas do balé clássico), foi muito pouco explorado pelos coreógrafos na dança masculina, sendo que vale lembrar que os cossacos, na Ucrânia e Georgia, há séculos já dançavam nas pontas das botas em suas danças folclóricas. Alguns exemplos do uso das pontas são: o piqué, relevé ou sauté.
Pointe shoes

Poisson

Polonaise

Port de bras

Porté, portée
Porté, portée
[pawr-TAY]
Carregar.Referência também dada a um passo em que o movimento se estende no espaço produzindo a sensação de prolongamento e vôo no espaço sendo que a pessoa é sustenta por outra durante a execução do passo, como por exemplo um assemblé dessus porté; ou quando a pessoa é carregada onde a dançarina é sustentada pelo dançarino. Na dança contemporânea essa função que há muito era exclusiva dos homens também se aplica às mulheres que também podem carregar o parceiro ou parceira.
Premier, première

Promenade, tour de

Quatre

Quatrième

Relevé

Retiré

Rise

Rolling

Romântico, balé

Rond de jambe

Rond de jambe à terre

Rond de jambe en l'air

Royale

Russian School

Saut de basque

Sauté, sautée

Seconde, à la

Sept

Sickling

Sissonne

Sissonne fermée

Sissonne ouverte, grand

Six

Supporting leg

Temps lié sur les pointes

Terre, à
Terre, à
[a tehr]
No chão. Este termo indica: (1) este termo indica que a base de suporte dos pés está no chão; (2) que os passos realizados com extensão e distanciamento como por exemplo os tendus, deverão estar em contato com o chão. É a oposição à elevação do solo ou o distanciamento do chão.
Tour de force

Tour en l'air
Tournant, en
[ahn toor-NAHN]
Em torno. Indica que o corpo está executando um giro em torno de si mesmo em um determinado salto ou movimento de deslocamento no chão. Por exemplo, assemblé en tournant.


*Tour jeté See Jeté entrelacé

Tournant, en

Trois

Troisiéme

Turn-out

Tutu

Vaganova, Agrippina

Variation

Virtuoso

Working leg

DICIONÁRIO DE BALLET

Demi-pointes, sur les
Demi-pointes, sur les
[sewr lay duh-mee-PWENT]
Sobre a meia ponta. O peso do corpo é transferido para a região dos metatarsos sendo que auxiliam no trabalho de desenvolvimento muscular dos pés, dos músculos grastrocnêmios em conjunto com toda a parte muscular posterior dos membros inferiores. Também usado no singular, sobre a meia ponta: "sur la demi-pointe."
Derrière

Dessous

Dessus

Deux

Deuxième

Devant

Développé

Diagonale, en

Divertissement

"Dicionário de Ballet"

Allégro

Arabesque

Arrière, en

Assemblé

Assemblé en tournant, grand

Attitude

Avant, en

Balancé

Ballerina

Ballet

Ballet master, ballet mistress

Balletomane

Ballon

Ballonné, pas

Ballotté

Barre

Battement

Battement dégagé

Battement en cloche, grand

Battement fondu développé

Battement frappé

Battement sur le cou-de-pied, petit

Battement tendu

Battement, grand

Battu

Bras

Bras bas

Bras, positions des

Brisé

Brisé volé

Cabriole

Cabriole, double

Cavalier

Cecchetti method

Cecchetti, Enrico

Centre practice

Chaînés

Changement

Chassé

Choreographer, choreographer

Choreography, choreography

Cinq

Cinquième

Classical ballet

Cloche, en

Coda

Corps

Corps de ballet

Côté, de

Cou-de-pied position

Coupé jeté en tournant

Couru

Croisé, croisée

Croix, en

Danse

Danse de caractère

Dedans, en

Dehors, en

Demi-plié

Air,en l '

Air, en l'
[ahn lehr]
No ar. Indica: (1) que o movimento é feito no ar; por exemplo, rond de jambe en l'air; (2) que o trabalho de pernas, após iniciar o movimento na secunda posição ou na quarta posição à terre, é elevado na horizontal mantendo o membro soerguido à alturas diversas formando ângulos: 45º, 90º, 100º, assim por diante conforme o grau de elasticidade e flexibilidade de cada pessoa.

Adágio

Adágio é uma palavra francesa derivada do Italiano ad agio, usado para indicar um movimento lento. A escola inglesa usa "adage". Na dança acontece em alguns momentos: (1) Peça com andamento menos lento, entretanto, que o largo. Os principais passos de adágio são: développés, grand fouetté en tournant, dégagés, grand rond de jambe, rond de jambe en l'air, coupés, battements tendus, attitudes, arabesques,preparação para pirouettes e vários tipos de pirouettes. Movimentos lentos de dança onde se trabalha força, equilíbrio, sentido de localização, linhas de sustentação e equilíbrio dos bailarinos. (2) O começo da aula de dança clássica se dá com adágios par ir se aquecendo lentamente a musculatura até se atingir o ápice do trabalho da aula com movimentos mais rápidos e mudando as seqüências que vão sendo cada vez mais dificultadas. Nas aulas de dança moderna e contemporânea o adágio também é usado da mesma forma sendo que no início trabalha-se também com exercícios de espreguiçamento, alongamento e relaxamento. (3) Movimento introdutório ao pas de deux tradicional. (4) Também refere-se aos movimentos introdutórios dos teatros de revista e circo.

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

"A DANÇA"




"A dança é um poema de gestos que esculpem o espaço." Daniel Sibony

sábado, 10 de novembro de 2007