quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Raça Cia. de Dança vence o PRÊMIO TEATRO DE DANÇA, ANO I.

A Raça Cia. de Dança é vencedora do PRÊMIO TEATRO DE DANÇA, ANO I. Com a coreografia Tango sob Dois Olhares, a companhia recebeu um cheque de R$ 30 mil reais durante a noite de premiação realizada no TD - TEATRO DE DANÇA.




Tango sob dois Olhares foi o espetáculo que recebeu a melhor média de notas do público, em uma votação que atingiu quase 20 mil cédulas depositadas em urnas distribuídas nas 32 cidades participantes do Prêmio durante o ano de 2009. “Este Prêmio tem um peso muito grande para uma companhia que não trabalha com patrocínios fixos. Crescemos muito em nível técnico e, com isso, crescem também as exigências do público, fato este que demanda maior tempo de pesquisa, estudo e elaboração. Certamente esse Prêmio só vem a colaborar para que possamos trabalhar seguindo sempre nessa trilha”, declarou a coreógrafa e coordenadora da Raça Cia. de Dança, Roseli Rodrigues. Ela ressaltou a importância em conquistar o reconhecimento do público: “É algo que dá força à nossa visão de realizar uma coreografia de teor descomplicado e mostrar a dança por intermédio do movimento”.



A cerimônia de entrega, prestigiada por produtores, coreógrafos, bailarinos e jornalistas, foi anunciada por Renata Melo, mestre-de-cerimônias da noite. Cássia Navas, consultora do TEATRO DE DANÇA e André Sturm, Coordenador da Unidade de Fomento e Difusão de Produção Cultural da Secretaria de Estado da Cultura, também estavam presentes no palco e participaram do anúncio do vencedor. ”O PRÊMIO TEATRO DE DANÇA é muito importante, porque gera mídia e colabora para a produção de dança. O critério de votação popular foi um grande diferencial para chamar a atenção de novas platéias, gerando um interesse maior das pessoas”, explica André Sturm.



Representantes das 12 companhias finalistas marcaram presença no evento, como a Mimulus Cia. de Dança (MG), o Ballet Stagium (SP), a São Paulo Cia. de Dança, o Ballet Natura Essência (Santos,SP), a Cisne Negro Cia. de Dança (SP) e a Siameses Cia. de Dança (SP). O PRÊMIO TEATRO DE DANÇA surgiu a partir da iniciativa da Secretaria de Estado da Cultura, por meio do TD - TEATRO DE DANÇA, sob gestão da APAA (Associação Paulista dos Amigos da Arte) e apoio do Sesc São Paulo.



Sobre a Cia. Raça



A Raça Cia. de Dança é coordenada pela coreógrafa Roseli Rodrigues, nome respeitado no cenário da dança brasileira. Inspirou-se na música “Raça” de Milton Nascimento para dar nome à companhia, que ganhou importância durante os anos de 1980 e se transformou referência na dança contemporânea. Mário Nascimento, Ivonice Satie, Luis Arrieta e Henrique Rodovalho são alguns dos coreógrafos que o Grupo Raça teve oportunidade de trabalhar em seus 26 anos de trajetória.



Em 2001 e 2002, com o apoio da Funarte e Ministério da Cultura, o Grupo Raça excursionou com seus espetáculos e workshops por cidades como Minas Gerais e São Paulo, além de uma turnê pelas cidades de Roma, Terni, Salermo, Tagliacosa, Crotone, Enna, Calabicheta, Piazza Armería e outras cidades da Sicília. Em 2004, apresentou-se em Portugal no 39º Festival de Sintra, e em 2005 foi convidado especial para Noite de Gala do 23º Festival de Joinville. Em junho de 2008 cumpriu temporada de sucesso em São Paulo com os espetáculos Tango Sob Dois Olhares e Caminho da Seda. Com este último, a companhia foi selecionada para o Circuito SESI de Dança/2008.







Sobre a coreógrafa Roseli Rodrigues







É coreógrafa e professora de Dança Contemporânea, formada em Educação Física. Adquiriu notoriedade no cenário da dança nacional e internacional com trabalhos coreográficos de grande sucesso, tanto de público como também de crítica. É constantemente convidada como professora nos grandes festivais de dança no Brasil, Argentina, Paraguai, México e Itália.







Desde a década de 80 dirige e atua como coreógrafa residente de sua própria companhia, a “Raça Cia. de Dança”, com a qual percorreu todo o Brasil e alguns países da América Latina e Europa, merecedora de mais de oitenta prêmios.







Coreografou para vários grupos e companhias de dança do país, com destaque para a Vacilou Dançou, do Rio de Janeiro, que tem como diretora Carlota Portela, o Ballet do Teatro Guaíra, em Curitiba/PR, com a coreografia "O Segundo Sopro". Assina também as coreografias dos musicais “Vitor ou Vitória”, estrelado por Marília Pêra, com direção de Jorge Takla, “Godspell”, dirigido por Miguel Fallabela e do longa metragem "Aquaria", tendo como diretora a cineasta Flavia Moraes.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Grand Moscow Classical Ballet no Brasil



Coreografias inovadoras e performances altamente técnicas, aliadas a produções originais e um elenco de solistas premiados internacionalmente marcam os 43 anos de história do Grand Moscow Classical Ballet, que desembarcou no Brasil para uma turnê que passará por 15 cidades do país.




Sob a direção artística de Natalia Kasatkina e Vladimir Vasilyov, a companhia russa volta ao território brasileiro, depois de 28 anos, para apresentar dois espetáculos consagrados de seu repertório: Dom Quixote, de León Minkus e A Bela Adormecida, de Pyotr Ilyich Tchaikovsky


Com Marina Rzhannikova, Lioudmila Doxomova, Alexandra Lezina, Artem Khoroshilov, Alexei Orlov, Sergey Belorybkin, Alena Podavalova, Polina Kyrova, Svetlana Lobanova, Alexandre Poushkarev, Iliya Artamonov e Diana Kosyreva, o Grand Moscow Classical Ballet acumula apresentações em mais de 30 países da Europa, América e Ásia, além de 200 cidades em seu país de origem.





Seus bailarinos já foram premiados com mais de 15 medalhas de ouro em competições internacionais e por três vezes na Academia de Dança de Paris. Recentemente, o grupo recebeu o título de Companhia Acadêmica do governo russo.
 
 
Histórico




Fundado em 1966 por Igor Moiseyev, um dos mais importantes coreógrafos do século 20, com o apoio do ministério da cultura da então União Soviética, o Grand Moscow Classical Ballet foi originalmente concebido como Balé Jovem da Companhia Estatal de Dança da União Soviética. Em 1968, realizou sua primeira performance, a partir de excertos de obras clássicas e coreografias reduzidas produzidas por Kasyan Goleizovsky e o próprio Moiseyev.



A partir de 1977, transformou-se em uma companhia de balé clássico com repertório próprio, com a nomeação de Kasatkina e Vasilyov como diretores artísticos. Formados pela Escola Bolshoi de Coreografia e dois dos principais solistas do Ballet Bolshoi entre as décadas de 1950 e 1970, Kasaktina e Vasilyov atuaram de forma decisiva para consolidar o Grand Moscow Classical Ballet no cenário internacional, tornando-se nomes referenciais da cultura russa.



A turnê do Grand Moscow Classical Ballet no Brasil, que começou na quarta-feira, 4, em Porto Alegre, é uma realização da Time For Fun, maior empresa de entretenimento do país e da América do Sul, que já trouxe ao Brasil as temporadas dos espetáculos Saltimbanco, Alegria e Quidam, do Cirque du Soleil, além de realizar as temporadas dos principais musicais produzidos no país, como Miss Saigon, O Fantasma da Ópera, Les Misérables, A Bela e a Fera, Chicago e O Beijo da Mulher Aranha, além de espetáculos teatrais, como Mademoiselle Chanel, com Marília Pêra.
 

A turnê brasileira também passou pelas cidades de Juiz de Fora (06/11), Belo Horizonte (07 e 08/11), Salvador (10 e 11/11), Curitiba (12 e 13/11), Rio de Janeiro (14 e 15/11), Brasília (18/11), e São Paulo será em (20, 21 e 22/11
 

GRAND MOSCOW CLASSICAL BALLET





O grupo traz ao país - onde se apresentou pela última vez em 1981 - dois espetáculos: "Dom Quixote", de León Minkus, e "A Bela Adormecida", de Pyotr Ilyich Tchaikovsky, sob a direção artística de Natalia Kasatkina e Vladimir Vasilyov.





São Paulo (SP) - 20 e 21 de novembro, às 21h ("A Bela Adormecida"), e 22 de novembro, às 20h ("Dom Quixote") - Teatro Abril (Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 411, Bela Vista).


Informações: 0/xx/11 2144-5444/http://www.teatroabril.com.br

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

PRÊMIO TEATRO DA DANÇA!!!!!!







Espetáculo vencedor do
1º PRÊMIO TEATRO DE DANÇA
será anunciado no dia 23 de novembro

Somente um dos 12 finalistas receberá o cheque de R$ 30 mil

A Secretaria de Estado da Cultura, por meio do TD - TEATRO DE DANÇA, sob gestão da APAA (Associação Paulista dos Amigos da Arte) e apoio do Sesc São Paulo, anuncia, no dia 23 de novembro, às 20h, na sede do Teatro de Dança, o espetáculo vencedor da primeira edição do PRÊMIO TEATRO DE DANÇA.
Após votação popular, realizada por meio de urnas distribuídas em teatros e centros culturais de 32 cidades do Estado de São Paulo, chegou-se a 12 finalistas que concorrem ao prêmio de melhor espetáculo de dança de 2009 e levam um cheque de R$ 30 mil como premiação. Os finalistas são (em ordem alfabética):

• Ares Familiares, da Caleidos Companhia de Dança (São Paulo);
• Crendices, Quem Disse?, da Companhia de Danças de Diadema (ABC/São Paulo);
• Dance No Teatro De Dança, noite especial dança de salão, com a participação de Vitor Costa, Karina Carvalho e Andrei Udiloff (São Paulo);
• De. Gelo, da Siameses Companhia de Dança (São Paulo);
• Dolores, da Mimulus Companhia de Dança (Belo Horizonte);
• O Quebra-Nozes, da Cisne Negro Companhia de Dança (São Paulo);
• Por Instantes De Felicidade, da Quasar Companhia de Dança (Goiânia);
• Sair Pro Mar, do Ballet Stagium (São Paulo);
• Serenade Gnawa, da São Paulo Companhia de Dança (São Paulo);
• Tango Sob Dois Olhares, da Raça Companhia de Dança;
• Três Coreografias, da Natura Essência Companhia de Dança (Santos);
• Vem Dançar, da Cisne Negro Companhia de Dança (São Paulo).

Criado em 2008 pelo Governo do Estado de São Paulo, o PRÊMIO TEATRO DE DANÇA tem como finalidade estabelecer um canal de comunicação entre públicos e artistas, traçar um mapeamento de obras e plateias de espaços de difusão da dança, além de fortalecer e incentivar a produção dessa arte em todo o estado.
A cerimônia do dia 23 de novembro reunirá convidados da área de dança, artistas das companhias concorrentes e os conselheiros do PRÊMIO TEATRO DE DANÇA: Celso Curi, Regina Muller, Jorge Vermelho, Edison Paes de Melo, Simone Avancini, José Possi Neto, Sueli Silveira e Cássia Navas. No programa, haverá uma apresentação especial do espetáculo Noiva Despedaçada, da keyzetta e cia.
“O desafio deste Prêmio foi colocar à prova um modelo de enquete que escutasse o campo da dança por meio de seus públicos, em formato construído ao longo destes doze primeiros meses”, afirma Cássia Navas, doutora em dança (UNICAMP), especialista em gestão e políticas da cultura e também consultora do TEATRO DE DANÇA.
A ação envolveu 137 companhias/grupos e 168 espetáculos. Os votos válidos apurados foram 17.839 de um total de 19.325 cédulas em branco distribuídas durante o ano.

A importância do Prêmio Teatro de Dança, por Cassia Navas

“Primeiramente, o PRÊMIO TD é ação de gestão pública, estabelecendo-se como uma opção feita entre muitas, tanto ao que toca a seu formato – um prêmio de valor monetário a ser aferido segundo um marco regulatório difundido entre todos, quanto no que diz respeito a seus operadores - técnicos gestores de um equipamento público da Secretaria de Estado da Cultura, sob a responsabilidade, através de contrato de gestão, da APAA – Associação Paulista dos Amigos da Arte.
Em segundo lugar, o Prêmio foi pensado como uma nova forma, nunca tentada, de se colher as impressões do público sobre o que assistem em nossos palcos, em tempos em que a diversidade da dança impera, seja nos espetáculos, seja em seus formatos de difusão, salas, turnês, eventos. Não se trata, portanto, de um prêmio atribuído por especialistas. Não se trata tampouco da escolha entre obras divulgadas, durante período determinado, por meio específico de comunicação. É uma ação que tem por base um desafio a mais, para que possamos ter mais dança em muitos aspectos de nosso cotidiano”.

Como funcionou a votação

Para ter o direito de concorrer, as companhias brasileiras que participaram do PRÊMIO TEATRO DE DANÇA enquadraram-se em critérios da apresentação de obras de dança profissional, realizado em centros de difusão cultural no território do Estado de São Paulo. Esses teatros teriam que possuir uma urna reservada para votação, e as coreografias deveriam ter, necessariamente, mais de 20 minutos de duração.
As urnas foram distribuídas em 65 espaços e/ou teatros em todo o Estado. O público recebeu, antes de entrar nas salas, cédulas onde constava uma variante de notas de 1 a 9 para a avaliação da coreografia. Após a apresentação, o espectador assinalava a nota e depositava na urna. Cédulas que não estivessem preenchidas com todos os dados necessários (nome e endereço) não foram computadas. O vencedor do PRÊMIO TEATRO DE DANÇA será a companhia que conquistar a melhor média de nota atribuída pelo público votante por espetáculo.
Para fazer a análise dos dados recebidos durante esse ano de captação de votos nas cidades, foi feito um levantamento estatístico, coordenado pelo Prof. Titular do Departamento de Contabilidade e Atuária da FEA/USP, Gilberto de Jesus, para que mediante às duas variáveis estabelecidas (número de votantes e nota atribuída em cada espetáculo), fosse conferido o prêmio de melhor espetáculo de dança de 2009 ao mais bem votado.

Serviço:
Prêmio Teatro de Dança – noite de premiação
23 de novembro de 2009, às 20 horas
TD - Teatro de Dança
Avenida Ipiranga, 344 - Subsolo, Edifício Itália, São Paulo, SP, Brasil
Telefone da bilheteria: 2189 2555 Informações: 2189 2557
Capacidade: 278 lugares Estacionamento: R$ 15,00 com manobrista
Ar-condicionado e Acessibilidade para pessoas com necessidades especiais
www.teatrodedanca.org.br

Informações para imprensa:
Canal Aberto Assessoria de Imprensa
Márcia Marques - (11) 3798 9510 / 2914 0770/ 9126 0425
www.canalaberto.com.br