sábado, 29 de setembro de 2012

Companhia europeia de balé apresenta no País adaptação de Romeu e Julieta

(Fonte Do R7) Fundada em 1909, a companhia Les Ballet de Monte Carlo, uma das mais famosas do mundo, irá apresentar no País uma adaptação do compositor russo Sergei Prokofiev (1891-1953) para o clássico Romeu e Julieta, do inglês Wiliam Shakespeare (1564-1616). Serão cinco apresentações – três no Teatro Alfa, em São Paulo (nos dias 4, 5 e 6 de outubro) e duas no Theatro Municipal do Rio (dias 9 e 10 de outubro). A tradicional companhia, conhecida pela técnica impecável e sensual de seus 43 bailarinos, show de iluminação e pelos cenários grandiosos, traz ao Brasil um time com 40 técnicos e diretores. Eles são responsáveis por montar o aparato que dá vida ao espetáculo: uma rampa de 7 m e o piso de 210 m, além do equipamento gigantesco de luz e dos figurinos. Uma equipe da BBC de Londres irá filmar as apresentações do Les Ballet de Monte Carlo. As imagens farão parte de um documentário. O balé é dirigido pelo premiado coreógrafo Jean-Christophe Maillot, de 52 anos, famoso por conduzir espetáculos vigorosos e sensuais de dança. O cenário, que apresenta painéis móveis e jogos de luzes, tem ar cinematográfico. A companhia conta como presidente a princesa Caroline de Mônaco. O crítico René Sirvin, do jornal francês Le Figaro, deu a seguinte definição sobre a coreografia do Les ballet: - O que mais desconcerta é a inteligência da narrativa e a brilhante direção dos dançarinos. Serviço: SÃO PAULO Dias: 4, 5 e 6 de outubro (quinta, sexta-feira e sábado) Horário: 21h e 21h30 (quinta e sexta-feira) e 16h e 21h (sábado) Local: Teatro Alfa (Endereço Teatro: TR. Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro) Classificação etária: livre RIO DE JANEIRO Dias: 9 e 10 de outubro (terça e quarta-feira) Horário: 20h30 Local: Theatro Municipal (Endereço: Praça Floriano – Centro. Tel: (21) 2262-3501) Classificação etária: livre Duração: 52min/20 intervalo/23min/3 pausa/35min Vendas: Disque Dell´Arte 4002-0019 Preços: de R$ 60 a R$ 300

Centenário do Teatro Cultura Artística é comemorado em SP

A companhia de dança Bejart Ballet Lausanne faz a partir desta quinta-feira (27) até domingo (30) cinco apresentações no Teatro Municipal de São Paulo para comemorar o aniversário de 100 anos do Teatro Cultura Artística. Em agosto de 2008, o Cultura Artística, que fica no bairro da Consolação, na região central da cidade, sofreu um incêndio que deixou o espaço completamente destruído. Restaram do antigo acervo apenas fotos e cartazes que estavam guardados no escritório, que ficava em uma sala na área externa do teatro. A fachada é a única parte que continua em pé. Por enquanto, só a restauração do painel de Di Cavalcanti, que está protegido por placas, ficou pronta. A parte do acervo que foi salva continua guardada. Entre o material está o primeiro sarau organizado pela Sociedade Cultura Artística há exatos 100 anos. Serviço Cultura Artística - 100 Anos - Béjart Ballet Lausanne Local: Teatro Municipal de São Paulo Endereço: Praça Ramos de Azevedo, s/nº - Centro Data: 27 e 28 de setembro (21h); 29 de setembro (20h); e 30 de setembro (17h) Preço: setor 1: R$ 390 ; setor 2: R$ 230 ; setor 3: R$ 150 (com meia-entrada) Telefone: (11) 3397-0327 (Fonte Do G1 SP)

Ballet das Alagoas representa Penedo em evento internacional

Festival de dança acontece em Belém do Pará O Ballet das Alagoas, formado por bailarinas do Colégio imaculada Conceição voou na manhã desta terça-feira, 25, para a cidade de Belém capital do Pará onde se apresenta concorrendo com vários outros grupos de dança do Brasil e do mundo na XIX edição do Festival Internacional de Dança da Amazônia (FIDA). O corpo de balé penedense comandado pelo bailarino e coreógrafo Fernando Ribeiro, já participou de várias outras edições do referido festival, inclusive já teve seu trabalho premiado, como por exemplo, na V edição em 1998 com a coreografia “Salmos”, em 2003, na X edição com a coreografia “Humanos.com” e na XI edição, no ano de 2004, com a coreografia “Do homem ao poeta”, todas elas de autoria de Fernando Ribeiro. Para este ano, o Ballet das Alagoas apresenta trechos da coreografia “I Ching” que teve sua estreia em dezembro de 2011, no entanto, é em “Sonhos, no limiar da realidade, onde os sonhos são resultados de manifestação instintiva ou mecanismo inconsciente que revivem lembranças de fatos ocorridos, alguns são absurdos com imagens irreais” que a trupe penedense concorre na categoria de melhor coreografia. “Na verdade, o Ballet das Alagoas sempre participou sem a pretensão de ser premiado e sim de mostrar o que temos de melhor de um trabalho feito com responsabilidade e dedicação”, frisou Fernando Ribeiro. A trupe penedense é composta pelas bailarinas, Kallyne Teixeira, Luana Cristine Cruz Pereira, Laryssa Santos, Maura Luiza Dias Martins, Maria das Graças Barbosa Cruz, Marina Quirino C. Santos, Maria Eslãine Castro, além da participação do bailarino, Francisco de Assis Pereira. O evento acontece de 25 a 30 de setembro, no Teatro da Paz em Belém do Pará.
Foto e matéria de Fábio Andrey

Nuevo Ballet Español apresenta a essência do flamenco

Castanholas, palmas ritmadas, guitarra e sapateado. Estes são alguns dos principais elementos do flamenco, cartão-postal da cultura espanhola, presentes no espetáculo Cambio de Tercio, que será apresentado sábado, 29, às 21 horas, na sala principal do Teatro Castro Alves. O Nuevo Ballet Español, uma das mais modernas e inovadoras companhias de dança do novo cenário espanhol, é comandada pelos coreógrafos e bailarinos madrilenhos Ángel Rojas e Carlos Rodríguez, que sobem ao palco acompanhados de quatro dançarinas e seis músicos. O espetáculo é composto por dez quadros de diferentes durações, que exibem diversos bailes desta dança espanhola: cantiñas, sevilhanas, fandangos, rumbas, bamberas, bulerias, tanguillos e seguidillas. "Há mais de 20 anos fazemos pesquisas no campo da dança, mas neste espetáculo não fizemos nenhuma mescla de estilos. O que está em cena é o flamenco tradicional em sua essência", conta Rojas. Segundo o artista, o que há de contemporâneo em Cambio de Tercio é o conceito. "Os músicos não estão dispostos de forma estática. Eles se movem conosco o tempo todo, de acordo com a coreografia. É isto que atualiza a concepção cênica e a torna fresca". Para ele, outra parte que ratifica este aspecto é o momento em que o público pode ver a troca de figurino dos dançarinos. "Isto mostra a transformação da pessoa em artista. Enquanto no palco se desenrola um quadro, o público acompanha a troca de vestuário. Fazemos isso para que o vejam. Para que seja real". Em turnê pelo mundo desde 2009, o espetáculo é dividido em três partes, com solos, duetos e ensembles, que mostram a trajetória do flamenco dos anos 1950 até os dias de hoje. "É um registro da estética, da dança e de tudo que a compõe", afirma Rojas. Cambio A expressão cambio de tercio vem do mundo das touradas e se refere à mudança entre as três fases distintas da luta do toureiro com o touro. No espetáculo, seu significado está atrelado a uma mudança de momento, uma nova etapa: a evolução dos coreógrafos Rojas e Rodríguez, que se afastaram das primeiras criações, muito focadas na energia e sensualidade da dança. "Para nós é uma mudança, um início de etapa diferente. Depois de 17 anos como coreógrafos, chegamos a uma fase de maturidade muito interessante e também assumimos o lugar de professores, o que nos permite combinar a parte mais tradicional de nossa arte com novas formas de movimento", resume Rojas. Os caminhos de Rojas e Rodríguez se cruzaram em 1994, quando receberam o prêmio de Melhor Bailarino Revelação do Concurso Nacional de Coreografia e passaram a integrar, como solistas, a companhia de José Antonio Ruiz, os "Ballets Españoles". Em 1995, eles fundaram o Nuevo Ballet Español e desde então tiveram o trabalho reconhecido por diversos prêmios, como o prêmio UP de Dança para Melhor Companhia de Dança Espanhola e Flamenco (2000), prêmio para Melhor Espetáculo Musical do Ano (Don Juan, 2004), entre outros.
(Fonte Terra. com)

Turnê do Ballet de Monte Carlo chega ao Brasil

A turnê do Ballet de Monte Carlo desembarca no Brasil, mais precisamente em São Paulo e no Rio de Janeiro, na próxima semana, para apresentar Romeu e Julieta, uma releitura da famosa obra de Prokofiev baseada na peça de Shakespeare. A companhia, comandada pela Princesa Caroline de Mônaco, tem espetáculos marcados para os dias 4, 5 e 6 de outubro, no Theatro Municipal de São Paulo, e se apresenta nos dias 9 e 10 de outubro, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. No total, 73 pessoas, entre técnicos, diretores e bailarinos, são responsáveis pelo show. Para a produção, será montado nos dois teatros um contra-piso de 210 metros quadrados, em função de uma rampa de aproximadamente 7 m, que garante as movimentações entre os vários atos. Além disso, uma equipe da BBC vai acompanhar os profissionais para produzir um documentário sobre a companhia. (Fonte Terra.com)

domingo, 23 de setembro de 2012

Percurso histórico do Poeta Maior é relembrado pelo Ballet Nacional

“Havemos de voltar” é o título de espectáculo de dança tradicional a ser apresentado pelo Ballet Nacional de Angola, amanhã, às 12 horas, no Centro Cultural Agostinho Neto, em Catete. De acordo com o director e coreógrafo da companhia, Domingos Nguizani, o espectáculo enquadra-se no programa de actividades para saudar o 17 de Setembro, dia do Herói Nacional. O espectáculo, cuja coreografia é assente num drama, tem como destaque a obra “17 de Setembro” e é também baseado na canção “Neto Wele”, feita pelo músico Tabonta, aquando da morte de Agostinho Neto, no dia 10 de Setembro de 1979, na Rússia. O drama, explicou o coreógrafo, reflecte a dor demonstrada pelos angolanos quando receberam a notícia da morte do “Guia Imortal” da revolução nacional. Criado em 1986, o Ballet Nacional de Angola tem procurado, dentro dos objectivos, pesquisar e divulgar, a nível nacional e internacional, obras com temáticas capazes de reflectir a cultura tradicional e moderna angolana. O projecto Ballet Nacional, destacou Domingos Nguizani, é, à semelhança dos de países africanos como o Congo Democrático, Costa do Marfim, Senegal, Guiné-Bissau, Mali e Gabão, sinónimo de unidade e defensor da identidade cultural, dentro do universo etno - dançario da Nação angolana.
(Fonte- Jornal de Angola)

Bailarinos do SESI participam da 3ª Mostra de Dança do Porto Velho Shopping

A Academia de Dança do SESI Porto Velho participa pelo terceiro ano consecutivo da Mostra e vai apresentar Ballet de Repertório Clássico Paquita, Jazz, Contemporâneo, moderno e Dança de Salão (com os ritmos de Bachata e samba de gafieira) sob a coordenação das professoras Rita Nascimento (Ballet); Tailô Cristina da Silva Carvalho (Baby Ballet) e professor Raimundo Quintino (Dança de Salão). A apresentação acontece dia 29 de setembro (sábado) das 17h00 às 18h30 e contará com aproximadamente 100 alunos com faixa etária de 8 a 35 anos. A professora Rita aproveita para convidar a todos os pais e colaboradores para assistirem este evento, que em seu ponto de vista “mais uma vez vem consolidar o ballet no Estado, fortalecer a marca SESI e proporcionar à população de Porto Velho momentos de beleza, cultura e lazer”, ressaltou. A superintendente do SESI, Gilvani Fares ressalta a importância da dança e os benefícios à saúde. “O objetivo da Escola de Dança é gerar qualidade de vida por meio desta prática, uma forma de expressão com o corpo, que proporciona bem estar”. Já o presidente do Sistema FIERO, Denis Baú lembra que para o SESI é uma preocupação transmitir para seus alunos valores como: união, superação, respeito, espírito de equipe. “Como nos anos anteriores este será mais um belo espetáculo (Fonte Jornal de Rondônia)

Ballet de Londrina ,destaque em evento em São Paulo

A Companhia Ballet de Londrina, participou neste sábado (22), da 15ª edição do Dança e Movimento, em Ilhabela, litoral paulista. O elenco apresenta o espetáculo "Para Acordar os Homens e Adormecer as Crianças". O evento é realizado pelo Espaço Cultural Pés no Chão e reúne uma programação diversificada, incluindo grupos nacionais e internacionais, sendo ainda o maior evento artístico do Litoral Norte paulista.
Além dos palcos tradicionais, as apresentações acontecem em vários espaços alternativos da cidade, como escolas e quadras esportivas. O Ballet de Londrina participa pela primeira vez de uma edição do Dança Movimento que, além de grupos brasileiros, como o São Paulo Companhia de Dança, destaca os internacionais Cie À Fleur de Peau e o israelense Clipa Theater, considerado o mais importante grupo de teatro visual de Israel. A coreografia "Para Acordar os Homens e Adormecer as Crianças", do diretor da companhia londrinense, Leonardo Ramos, foi apresentada na França, no início de 2012, e celebra um rito de passagem entre a infância e a vida adulta. Uma tentativa de conhecer mais a essência humana. A coreografia também revelou Vitor Rodrigues, 16 anos, aluno da Escola Municipal de Dança, que integra o elenco de 12 bailarinos da companhia. A Companhia Ballet de Londrina é mantida pela Fundação Cultura Artística de Londrina (Funcart), com apoio da Lei de Incentivo à Cultura, Prefeitura de Londrina, Governo do Estado do Paraná (Conta Cutura/Sanepar) Empresa Tigre e Instituto Roberto Hansen. (Fonte Redação Bonde)

Nuevo Ballet Español faz apresentação única na capital mineira

Grupo apresenta diversas vertentes da dança Flamenca
Cantiñas, sevilhanas, fandangos, rumbas, bamberas, bulerias, tanguillos e seguidillas – todas essas vertentes da dança flamenca chegarão aos mineiros por meio da companhia Nuevo Ballet Español, que se apresentará apenas amanhã no Palácio das Artes. Os coreógrafos Ángel Rojas e Carlos Rodríguez ficaram conhecidos por conferir ares contemporâneos à tradicional arte de seu país. Cambio de tercio traz a BH um dos grupos mais respeitados da nova cena espanhola, além de figurinos caprichados e músicos de primeira categoria. O trabalho da dupla tem forte marca autoral. Desde 1995, quando foi criado, o Nuevo Ballet recebeu prêmios importantes em seu país. A expressão cambio de tercio vem das touradas: refere-se às três fases da luta do toureiro com o animal. Dez quadros cênicos compõem a montagem, que reúne solos, duetos e ensembles. Sobem ao palco quatro bailarinas, seis músicos e a dupla de coreógrafos madrilenhos. Rojas e Rodríguez estudaram com nomes consagrados, como José Granero, Luisillo e Rafael Aguilar, e foram solistas do Ballet Españoles, de José Antonio Ruiz. O Nuevo Ballet Español está instalado na cidade de Móstoles, perto de Madri. O grupo já se apresentou em vários países da Europa, além da China e do México. De BH a turnê brasileira seguirá para São Paulo (dias 25 e 26), Ribeirão Preto (dia 27) e Salvador (dia 29). (Fonte EM Cultura)

sábado, 22 de setembro de 2012

Associação de Ballet e Artes Fernanda Bianchini

A Associação de Ballet e Artes Fernanda Bianchini existe desde 1995 e é reconhecida mundialmente por um método pioneiro desenvolvido pela bailarina e fisioterapeuta Fernanda Coneglian Bianchini Saad. Por esse método, deficientes visuais aprendem a dançar Ballet de forma graciosa, como qualquer outro belo bailarino. O aprendizado se inicia no toque. O passo é ensinado a cada aluno. O professor, sempre com muito carinho, orienta e repete todos os movimentos até que, em certo ponto, os bailarinos dançam apenas com instruções orais. A Associação dá aulas gratuitas para deficientes visuais de todas as idades, com aulas de Ballet Clássico, Sapateado, Dança de Salão, Danças para terceira idade, Ballet para adultos e música. Com esses cursos, nossos alunos melhoram a postura, o equilíbrio, a noção espacial e a auto-estima, além de romper barreiras e preconceitos. A CIA Fernanda Bianchini convida todos os interessados em aprender a linda arte da dança e fazer do que é sonho uma realidade! Venha aprender Ballet Clássico, Ballet para adultos, Sapateado, Dança de Salão, Sincronismo e Expressão, Música e ainda Dança para terceira idade, com os melhores e mais dedicados profissionais, que usam o método pioneiro de ensino para deficientes visuais desenvolvido pela própria Fernanda Bianchini. Crianças e adultos, entre 3 e 60 anos podem participar das aulas, ministradas na sede da Associação, e fazer parte desse grupo tão especial. Entre em contato através do telefone (11) 5084-8542, pelo nosso canal de contato no site ou pessoalmente e saiba mais! Associação de Ballet e Artes para Cegos Av. Domingos de Moraes, 1765 Vila Mariana - São Paulo Escritório de Vendas: (11) 3255-5189 (11) 5084-8542 c/ Elaine ou Bianca (11) 9945-2133 c/ Fernanda

Bailarinas cegas participaram da Cerimônia de Encerramento dos Jogos Paralímpicos de Londres 2012

O encontro entre jovens bailarinas sem visão e duas estrelas brasileiras do Royal Ballet de Londres, foi sem dúvida um momento encantador de superação. Projeto pioneiro da coreógrafa Fernanda Bianchini teve quatro representantes na Cerimônia de Encerramento dos Jogos Paralímpicos de Londres 2012
(Foto Olímpiada Londres 2012) Convidada pela produção da parte brasileira da Cerimônia de Encerramento, a coreógrafa começou os ensaios com Geyza Pereira, Marina Guimarães, Gisele Dantas e Aldenice Moreira sem maiores detalhes sobre a apresentação, que ganharia convidados mais do que especiais na sequência: Roberta Marquez, primeira bailarina, e Thiago Soares, bailarino principal do Royal Ballet de Londres, uma das companhias de balé clássico mais tradicionais do mundo.

Ballet pode auxiliar no desenvolvimento dos pequenos

Ballet pode auxiliar no desenvolvimento dos pequenos O ballet combina música, mímica e dança para narrar uma história O ballet, muitas vezes procurado pelas mães para auxiliar na postura das filhas, traz muito mais benefícios para os pequenos. Especialistas afirmam que o ballet se difere de outros esportes porque, além dos benefícios físicos como o melhoramento da postura, coordenação motora, noções de localização e orientação de espaço, flexibilidade e aumento da resistência corporal, é uma arte de expressão com movimentos lúdicos. De acordo com a experiente professora Rosânia Gonçalves, o balé combina música, mímica e dança para narrar uma história e por isso desperta sentimentos e emoções. “Sem dúvidas os benefícios ultrapassam a ação pedagógica e ajudam no crescimento”. No ballet todos os passos e movimentos são predeterminados e formam a coreografia. Essa atividade exige dos praticantes várias horas de exercícios e ensaios, facilitando o desenvolvimento de habilidades motoras. “O fato de ter que seguir uma coreografia também é outro aspecto importante. Isso aguça a curiosidade e faz com que elas exercitem além do corpo, a cabeça, na hora de decorar os passos”, diz. A professora afirma ainda que são necessários nove anos para formar uma bailarina clássica. “Na nossa região nenhuma academia forma bailarinas. Nós preparamos para a formação, mas esta só existe em grandes centros, como no Teatro Municipal. Percebemos que quanto mais cedo a criança começa no ballet, mais facilidade ela tem para executar os movimentos e aperfeiçoar os passos, por isso sempre indicamos o baby class. Mas é importante que a criança goste, que sinta prazer e se divirta nas aulas. Nenhuma bailarina será formada simplesmente porque os pais gostariam que a criança seguisse esse caminho”, (Fonte GI Notícias)

Bailarinas de Campina Grande são selecionadas pelo Ballet Bolshoi

A escola Bolshoi de Ballet existe desde 1776 e, apesar da crise que devasta a Rússia atualmente, a companhia realiza 280 apresentações por ano com os seus 2.500 profissionais. Entre eles, bailarinos, e a cada momento novos talentos são descobertos, como a jovem Vitória Nunes, que tem apenas 13 anos de idade e foi classificada em Campina Grande na modalidade dança clássica. (Fonte:http://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2012/09/)

OLÁ !

Desculpem a ausência.. não vos esqueci, tenho andado por outras praças. Mas vamos lá.. continuar nosso trabalho.. Obrigada pelas visitas e pelos comentários.