Theatro Municipal do Rio de Janeiro apresenta BALLET COPPÉLIA

                              (Imagem TmRJ divulgação)



Desde sua estreia, em 1870, na Ópera de Paris, até os dias de hoje, Coppélia tem mantido intacto o encanto que o transformou em um dos ballets mais populares do mundo e presença obrigatória no repertório das grandes companhias clássicas. Desde de 27 de outubro, o Theatro Municipal do Rio de Janeiro, vinculado à Secretaria de Estado de Cultura, apresenta nova temporada até 7 de novembro, com direção artística de Dalal Achcar. Nos papeis principais estarão as estrelas do Ballet do Theatro Municipal – Claudia MotaKarina Dias e Márcia Jaqueline, e Cícero GomesDenis Vieira e Filipe Moreira –, dirigido artisticamente por Hélio Bejani. A Orquestra Sinfônica do TM será conduzida pelo Maestro Jésus Figueiredo.Belos cenários e figurinos de José Varona. A história divertida e lúdica ganha ainda mais brilho com a direção artística de Dalal Achcar, na execução da coreografia de Enrique Martinez. É, sem dúvida, um programa para a família toda”, comenta Carla Camurati, presidente da Fundação Teatro Municipal.
A coreógrafa Dalal Achcar,ressalta a importância da obra para oTheatro Municipal: “Coppélia é um marco para todos nós. Foi o espetáculo que lançou a bailarina Ana Botafogo e um dos mais belos do repertório”.

Baseado no conto Der Sandmann (O homem de areia) de Ernest Hoffman, de 1815, o ballet Coppéliafoi coreografado originalmente por Arthur Saint-León, que também assinou o libreto com Charles Nuitter. Foi o primeiro grande ballet clássico a incluir danças folclóricas como mazurcas, polcas e czardas, escolhidas por Delibes, autor da partitura, para dar mais realismo à obra. No Theatro Municipal do Rio, foi apresentado inicialmente em 1918, pela Cia. de Anna Pavlova. Desde 1981, quando Ana Botafogo fez sua estreia com grande sucesso no BTM, o Theatro Municipal apresenta a versão do coreógrafo cubano Enrique Martinez, criada originalmente para o American Ballet Theater e que se tornou uma unanimidade, adotada pelas maiores companhias do mundo.



Hélio Bejani, diretor do Ballet do TMRJ, resume: “Coppélia, traz nossa companhia de volta à essência do ballet clássico, onde os bailarinos poderão mostrar toda sua competência na condição que nos diferencia como únicos no país: a de preservar a historia do ballet de repertório. É um clássico cheio de amor, encanto e magia. Uma boa oportunidade de diversão, com uma dose grande de emoção”.
Um dos pontos altos de Coppélia é a música de Lèo Delibes, como explica o Maestro Silvio Viegas, Diretor Artístico e Maestro Titular da OSTM “O mais interessante de Delibes é que, por ser um compositor acadêmico, criou uma estrutura sólida e pensada em comum acordo com a dança, sendo fundamental para a formação de uma unidade”. “A sinfônica de Delibes é considerada um dos melhores exemplos de música para o balé de qualquer época. Ela é o divisor de águas na história da música feita especialmente para o balé”, completa.
Coppélia
Ballet e Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Música: Léo Delibes
Coreografia: Enrique Martinez
Libreto: Charles Nuitter, inspirado no conto Der Sandmann, de Ernest Hoffman
Direção Artística: Dalal Achcar
Cenários e figurinos: José Varona
Direção Artística do BTM: Hélio Bejani
Regência: Jésus Figueiredo
Solistas:
Márcia Jaqueline e Cícero Gomes – 27/10 e 4/11
Cláudia Mota e Denis Vieira– 28/10, 1º e 7/11
Karina Dias e Filipe Moreira – 3 e 6/11
Temporada:
Estreia: 27 de outubro, às 20h30
Dia 28/10 e 4/11 às 16h
Dias 1, 6 e 7/11 às 20h
Dia 3 às 20h30
Theatro Municipal do Rio de Janeiro








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"Lista de Bailarinos Famosos "

Curiosidades Históricas

Bailarino Frederico Loureiro vence bronze em Helsínquia