terça-feira, 19 de outubro de 2010

A Bela Adormecida, de Tchaikovsky


(Pavilhao D A Bela Adormecida2 net.jpg)





A Bela Adormecida, de Tchaikovsky, ganha montagem de Ricardo Scheir no Teatro de Dança

Teatro de Dança (instituição da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo, gerenciada pela Associação Paulista de Amigos da Arte - APAA) leva ao seu palco entre os dias 22 e 24 de outubro de 2010 um clássico do balé: A Bela Adormecida.
Com interpretação do Pavilhão D Centro de Artes, de São Paulo, e direção geral de Ricardo Scheir e Cláudia Riego, A Bela Adormecida, considerado um dos melhores trabalhos de Tchaikovsky, foi encenado pela primeira vez em 1890 no Teatro Mariinsky em São Petersburgo.
Bela Adormecida conta história de Aurora, uma princesa que recebe terrível maldição de uma fada chamada Carabosse, que ficou indignada por não ter seu nome anunciado pelo mestre de cerimônias na festa de batizado de Aurora. Quando completou 15 anos, a princesa recebeu uma picada de agulha no dedo e mergulhou em um longínquo sono por 100 anos.
Ricardo Scheir é um dos grandes nomes do balé nacional. Em seu currículo, estão mais de mil prêmios nacionais e internacionais. Entre eles, os de melhor coreógrafo do Festival Internacional de Dança de Joinville e o recebimento de uma medalha de mérito artístico oferecido pelo Conselho Brasileiro de Dança.
A Bela Adormecida

Dias 22, 23 e 24 de outubro de 2010
Sexta às 21h, sábado às 20h, domingo às 18h
50 minutos, livre

Ficha Técnica
Direção Geral – Pavilhão D Centro de Artes: Ricardo Scheir e Claudia Riego Direção Artística: Ricardo Scheir Remontagem: Ricardo Scheir  e Fábia VasconcellosFigurinos: Cleusa Torres Conrado Som e luz: Equipe do Teatro de Dança Elenco: Alaércio Leite, Alexandre Nascimento, Aline de Lucca, Átila Silva Freire, Beatriz Cristine Soares dos Santos, Carla Palou, Eugênia Granha, Fábia Vasconcellos, Fernanda Assumpção, Ícaro Silva Freire, Ingrid Chafick, Isabella Bianco, Jackeline Coutinho, João Gabriel Dias, Kaiky Martins, Marcos Paulo Oliveira, Patrícia Montenegro, Shamara Bacelar Bailarinos convidados: André Teixeira (New Jersey Ballet) e Pamela Valim (Especial Academia de Ballet) Músico: Leandro Setra (piano)

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Dance no Teatro de Dança

Dance no Teatro de Dança apresenta edição do “baile moderno”, coordenado por Célia Gouvêa




(Foto João Caldas)





O TD – Teatro de Dança (instituição da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo, gerenciada pela Associação Paulista de Amigos da Arte - APAA) promove a cada terceira 4ª feira do mês o evento Dance no Teatro de Dança.  No dia 15 de setembro de 2010 haverá um “Baile Moderno” especial, conduzido pela coreógrafa Célia Gouvêa, com entrada franca.

A intenção do baile é que seja uma prática lúdico-criativa de composição coreográfica, em que o objetivo maior seja reunir as pessoas pela dança. Os participantes - pessoas de todas as idades e talentos - serão convidados a dançar frases de movimentos, inicialmente indicadas pela coreógrafa. Em seguida, movimentos serão sugeridos por cada integrante, formando novas seqüências. Cada vivência emprega uma música e temática, ligada às várias propriedades do movimento como quantidade de energia, partes do corpo, extensões e qualidades. Trata-se de um momento de festa, uma vivência comunicativa.

Coreografia e Coordenação: Célia Gouvêa

Célia Gouvêa - É formada pelo MUDRA de Maurice Béjart, em Bruxelas, Bélgica, onde foi co-fundadora do grupo CHANDRA (Teatro de Pesquisa de Bruxelas). Em 1974, em parceria com Maurice Vaneau, iniciou no Teatro de Dança Galpão, movimento renovador da dança. Conquistou prêmios da APCA, Governador do Estado e Apetesp em várias categorias. Primeira brasileira na área da dança a obter a Bolsa da John Simon Guggenheim Foundation, dos EUA.

15 de setembro de 2010 – quarta das 18h às 21h
Dance no Teatro de Dança

Classificação livre, Entrada Franca
Local: Salão de Baile do Circolo Italiano

TD – Teatro de Dança
Avenida Ipiranga, 344 - Subsolo, Edifício Itália - São Paulo, SP, Brasil (Metrô República)
Telefone da bilheteria: 2189 2555 Informações: 2189 2557 Capacidade: 278 lugares
Ingresso: R$ 4,00 e R$ 2,00 (meia) Estacionamento: R$ 15,00 com manobrista
Bilheteria, abertura: Vendas para o dia do espetáculo - 4ª a domingo, a partir das 14h
Ar-condicionado e Acessibilidade para pessoas com necessidades especiais

TD - Teatro de Dança - Secretaria de Estado da Cultura


terça-feira, 17 de agosto de 2010

PROGRAMAÇÃO -----Divulgação!

De 1º a 12 de setembro de 2010, o Teatro de Dança (instituição da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo e gerenciada pela Associação Paulista de Amigos da Arte - APAA), organiza a segunda edição do projeto Plataforma Estado da Dança. Os espetáculos acontecerão em três lugares diferentes: Centro Cultural São Paulo (CCSP), Estação da Luz e no palco do próprio TD.





Experimentações cinematográficas ou o que você faz quando todas as imagens do mundo não cabem em uma ideia?










Em 11 dias serão apresentados 15 espetáculos, todos eles premiados pelo último edital do ProAC (Programa de Ação Cultural/2009), da Secretaria de Estado da Cultura, na categoria ‘novas produções’. Como forma de reflexão sobre as formas de programação em/de dança no Brasil, neste Plataforma serão promovidos dois encontros (dias 3 e 10 de setembro) com a participação de 20 curadores e programadores, profissionais especialmente convidados para acompanhar a programação: Arnaldo Siqueira, do Festival Internacional de Dança do Recife/PE, Jacqueline de Castro, do 1,2 na Dança/MG, Sacha Witkowski, do Festival Diagnóstico Contemporâneo da Dança/GO, Leonardo Ramos, do Festival de Dança de Londrina/PR, Daniele Pereira, do Festival de Dança de Londrina/PR, Marci Dornelas, do Festival Internacional de Artes Cênicas de Goiânia/GO, Sérgio Moreira, coordenador de Dança da Fundação Cultural do Estado do Tocantins/TO, Clara Pinto, do FIDA, Festival Internacional da Amazônia/AM, Cristina Castro, do Festival Viva Dança/ BA, Diana Fontes, do Encontro de Dança Contemporânea do Rio Grande do Norte/RN, Ana Claudia Costa, coordenadora de Dança do Pará /PA, Marila Velloso, do Circuito Compartilhado/PR, Marcelo Zamora, do Fórum de Dança de São José do Rio Preto/SP, Camila Pupa, do Festival de Dança de Piracicaba/SP, Cristina Neves, do Festival de Dança de Caraguatatuba/SP, Simone Avancini ou Marina Guzzo, do SESC SP, Alexandra Itacarambi, do Centro Cultural São Paulo/SP, Andrea Thomioka, do Centro de Dança Umberto da Silva/SP, Meire Maria, do Espaço Contágius, do Arte em Movimento/PA e Marise Siqueira, produtora cultural de Porto Alegre/RS.







Para registrar o Plataforma foram convidados três especialistas que produzirão textos a serem publicados posteriormente: com foco em dança, Sofia Cavalcante, música, Cid Campos e artes plásticas, Marcos Gallon, estes são os profissionais que terão seus textos acerca dos espetáculos difundidos no site do TD e distribuídos entre todos os participantes.



Especialista em Dança




Sofia Cavalcante é bailarina, professora, coreógrafa e diretora, mestra pela Faculdade de Filosofia da USP, cujos estudos orientaram seu trabalho cênico e pedagógico. Dirige juntamente com Eliana Cavalcante o Núcleo Passo Livre e o Espaço Cariris. Além dos espetáculos, o Núcleo e o Espaço também realizaram e produziram o 1.o FestiVaia e dois Camelódromos Culturais. Em 2008 foi coordenadora de equipe do Projeto Dança Vocacional da Prefeitura de São Paulo. Fundadora do Movimento Mobilização Dança.











Especialista em Música



Cid Campos é músico, compositor e produtor musical. Seus Cds autorais são “Poesia é Risco” (1994) - em parceria com Augusto de Campos, “Ouvindo Oswald” (1999), “No Lago do Olho” (2001), “Fala da Palavra” (2004) e “Crianças Crionças” (2009). Desde 1992 realiza as suas produções musicais em seu estúdio (MC2 Studio). Através da tecnologia de ponta dos computadores, sintetizadores e também instrumentos acústicos, tem dado continuidade ao seu trabalho sobretudo na área da experimentação musical, ligada à poesia, vídeo, dança e documentários.







Especialista em Artes Plásticas



Marcos Gallon é formado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica (PUC), de São Paulo. Como bailarino e coreógrafo trabalhou em várias cias. de dança em São Paulo. Em 1997, muda-se para Berlin, na Alemanha, onde desenvolve vários projetos de dança contemporânea junto a diversos grupos de dança e performance da cidade. Retorna ao Brasil em 2001. Nos anos de 2003 e 2004 desenvolve o projeto Corpo de Baile, coletivo composto por bailarinos, performers, designers, atores e artistas visuais. Em 2005, cria juntamente com a Galeria Vermelho o projeto Verbo.




Programação








TD, 01 de Setembro, quarta-feira, 21h







Ma be Ma - 65 minutos, 18 anos



Divina Companhia/SP







Ma be MA é um espetáculo que apresenta o encontro entre Tadashi Endo e o artista plástico Manabu Mabe. Através de cenas coreografadas é traçado um caminho que busca alcançar através dos corpos dos bailarinos a intensidade das cores e dos movimentos das pinturas de Mabe.







O nome MA be MA é um jogo com a palavra MA, que em japonês significa o espaço entre as coisas, o nome MABE e o verbo “to be”, em inglês “ser, estar”.







Ficha técnica



Direção e coreografia: Tadashi Endo Assistente de direção: Toshi Tanaka Concepção do projeto: Denise Curtouké e Adriana Patrício Coordenação do Projeto: Denise Curtouké Dançarinos: Aline Alves, Ana Musidora, Artur Abe, Cynthia Hussey, Diogo Cardoso, Jimmy Wong, Joana Egypto,Laís Marques, Majorie Geraldi, Murilo de Paula, Patrícia Árabe e Sandra Pestana Iluminação: Tadashi Endo e Fábio Retti Trilha sonora: Tadashi Endo e Daniel Maia Composição original: Daniel Maia Figurinos: Sandra Pestana Cenografia: Daniel Ribeiro Projeções em Vídeo: André Menezes Orientadora Teórica: Ely Mabe e Michiko Ohkano Preparadores Corporais (fase 1): Irineu Nogueira e Toshi Tanaka Assistente administrativo: Tetembua Dandara Assistente de produção: Sandra Pestana Direção de Produção: Pedro de Freitas / Périplo Produções Realização: Divina Companhia e Périplo Produções.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

TD, 02 de Setembro, quinta-feira, 21h








inFLUXOS - 40 minutos, 12 anos



cia.nósláemcasa/SP







O espetáculo propõe um diálogo em que bailarina e músico constroem a dramaturgia pela conexão entre o movimento dançado, o movimento sonoro, o movimento luminoso e a plasticidade sonoro/cenográfica, considerando a permeabilidade, a interpenetração e a inter-relação de uma potencialidade em outra.







Ficha Técnica



Concepção: CIA.NÓSLÁEMCASA Coreografia - criação e interpretação: Patrícia Werneck Trilha sonora original – criação e execução ao vivo: Celso Nascimento Pesquisa de cenário, figurino e iluminação: CIA.NÓSLÁEMCASA Criação da luz: Cia.Nósláemcasa e Décio Filho Treinamento em Tai Chi Pai Lin: Patrícia Werneck Fotografias: Silvia Machado Registro em vídeo: Giuliano Scandiuzzi Projeto Gráfico: Patrícia Werneck Realização e produção: CIA.NÓSLÁEMCASA e Cooperativa Paulista de Teatro Projeto apoiado pelo Governo de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura - Programa de Ação Cultural de 2009

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨


TD, 03 de setembro, sexta-feira, 21h








Anjos Negros - 50 minutos, 14 anos



Cia Fragmento de Dança/SP



A pesquisa teve início em Corpos Frágeis, espetáculo em que a Cia Fragmento se inspirou na vida e obra de nove mulheres, dentre as quais Virginia Woolf. Anjos Negros tem na escritora sua primeira fonte de pesquisa, mas sem buscar uma releitura de seus romances ou personagens. O que interessa são os espaços que se abrem na intertextualidade e na relação vida e obra. Espaços que nos possibilitam discutir o ser humano em sua inadequação e contradição permanentes. Espaços que nos mostram quantos “personagens” de nós mesmos criamos para não revelar o que está dentro.







Ficha Técnica



Concepção, Coreografia e Direção: Vanessa Macedo Elenco: Carolina Minozzi, Danilo Firmo, Érica Tessarolo, Jéssica Moretto, Maercio Maia, Priscila Lima e Vanessa Macedo Pesquisa: Cia Fragmento de Dança Artista convidada: Lavinia Bizzotto Criação de luz: André Prado Operação de luz: Adson Costa ou André Prado Trilha sonora: Gustavo Domingues Cenografia e Figurino: Nani Brisque Programação Visual: Érica Tessarolo Fotos: Cris Lyra Preparação corporal - Pilates e Condicionamento Físico: Priscila Lima e Danilo Firmo / Clássico: Jéssica Moretto / Contemporâneo: Vanessa Macedo Direção de Produção: Vanessa Macedo



http://ciafragmento.blogspot.com











CCSP, Espaço Cênico Ademar Guerra, 04 de Setembro, sábado, 19h



Este espetáculo também integra a programação “Entre todas as coisas” do CCSP

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨


CCSP, Espaço Cênico Ademar Guerra, 04 de Setembro, sábado, 19h




Este espetáculo também integra a programação “Entre todas as coisas” do CCSP.







Rútilo Nada - 50 minutos, 12 anos



Concepção Interpretação: Wellington Duarte e Donizeti Mazonas/SP







O espetáculo Rútilo Nada foi contemplado com o Programa de Ação Cultural – PROAC/2009, e tem como ponto de partida a novela homônima de Hilda Hilst. Segundo o crítico Roberto Corrêa dos Santos, Rútilo Nada “é um espesso poema sobre o corpo: as regiões eróticas, as camadas externas – a pele, as excrescências, as formas – e as internas: o corpo por dentro, movendo-se nos seus circuitos, ossos, massa, tripa. Neste sentido essa obra estabelece um elo de conexão direto com o ponto de partida do criador em dança, que tem o corpo como lugar e meio para a realização de seu trabalho”.



Sob tais dispositivos – o da língua e do “pensamento/corpo em ação” – os limites do desejo, as relações socialmente intoleráveis e a ferocidade humana e suas conseqüentes atrocidades, constituem o tema de Rútilo Nada. Neste ponto, podemos dizer que essa obra é uma espécie de discurso no sentido político do termo: uma espécie de discurso de resistência da paixão e do desejo.



Ficha Técnica



Dançarinos: Wellington Duarte e Donizeti Mazonas Direção e Música: Daniel Fagundes Luz: Hernandes de Oliveira Figurino e Cenário: Anne Cerutti Produção Executiva: Adriana Patrício



¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

TD, 05 de setembro, domingo, 19h








Campo Minado - Estreia - 50 minutos, livre



Coletivo KD / Sorocaba







Campo Minado trata das formas de ‘assujeitamento’ geradas pela relação entre um corpo e um dispositivo. O trabalho é o formato mais recente de uma investigação que se iniciou em 2006, dentro do projeto Interferências – estudo sobre as tensões entre corpo e ambiente. Na atual etapa da pesquisa, partimos da ideia de campo minado, para traçar uma analogia ao corpo atingido por minas terrestres, cuja condição aponta a perda de função e de valor. O corpo do sujeito minado - aquele que pisou numa mina - é determinado pela pressão dos pés sobre explosivos que podem ser detonados a qualquer movimento. Trata-se de um corpo biologicamente vivo, mas social e culturalmente esvaziado.







Ficha Técnica



Realização: Coletivo KD Criação/Direção: Andréia Nhur Criação/Execução: Douglas Emílio, Elaine Pierre, Paola Bertolini e Rodrigo Florentino Trilha Sonora/Sonoplastia: Rodrigo Florentino Treinamento/Power Yoga: Telma Tessila Produção: Jéssica Pedrosa Arte Gráfica: Rodrigo Florentino Agradecimentos: Nativos Terra Rasgada e Universidade de Sorocaba

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨


TD, 06 de Setembro, segunda-feira, 20h








Verdades não acabadas e vacilantes - 40 minutos, livre



Concepção, criação e interpretação: Débora Marcussi e Laila Padovan/SP







O espetáculo resultante do projeto Verdades não acabadas e vacilantes apresenta uma proposta de interação entre dança e música, visando o fluxo por essas linguagens por meio da improvisação. A trilha sonora é de autoria das intérpretes, que tocam piano e acordeon ao vivo no espetáculo. Inspirando-se livremente nas obras “A insustentável leveza do ser”, de Milan Kundera e “Um sopro de vida”, de Clarice Lispector, o duo abordará as diversas maneiras através das quais o indivíduo se relaciona com as contradições inerentes à existência humana.



O espetáculo propõe reflexões sobre pares de contrários como: peso e leveza; certo e errado; eterno e fugaz; vida e morte; tudo e nada; presença e ausência; rigidez e flexibilidade; tensão e relaxamento.



Desta forma, Verdades não acabadas e vacilantes traz a possibilidade de vivenciar sensações contraditórias e de colocar em cheque certezas ilusórias, abrindo-se para o inesperado e gerando um novo olhar menos automático para questões da existência humana e de seu cotidiano.



Ficha técnica



Concepção, criação e interpretação: Débora Marcussi e Laila Padovan Direção: Alex Ratton Sanchez Trilha sonora: Débora Marcussi e Laila Padovan Produção: Zeca Duarte Iluminação: Bruno Natale Figurino: Débora Marcussi e Laila Padovan Designer Gráfico: Fernando Sciarra



¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

TD, 07 de Setembro, terça-feira, 20h








Clariarce - 50 minutos, livre



Criação e interpretação: Jussara Miller/Campinas







Clariarce é livremente inspirado na obra Água Viva, de Clarice Lispector. Aqui, variadas dinâmicas corporais se interceptam e se dinamizam num jogo de conexões intertextuais: textos coreográficos, literários e fotográficos, num vai-e-vem de sensações que se derramam numa fluidez poética em relação ao instante ao vivo.



O espetáculo se constitui de estruturas coreográficas móveis, combinações de movimentos/momentos ordenados de uma maneira investigativa a cada instante cênico, com o objetivo de proporcionar uma transitoriedade na coreografia no momento presente, provocando um estado de prontidão para a ação dançada.



Clariarce busca habitar o corpo sensível que delicada ou vigorosamente escolhe vetores que potencializam o movimento pelo espaço, numa rede de percepções que geram fluxos de movimentos, projeções, memórias e evocações, evidenciando a ressonância dos sentidos na composição cênica.







Ficha técnica



Concepção, Criação e Interpretação: Jussara Miller Direção, Dramaturgia e Cenografia: Norberto Presta Fotografia, Trilha Sonora e Cenotécnica: Christian Laszlo Figurino: Silvana Nascimento Desenho de luz: Cristiano Pedott Edição de imagens: Igor Capelatto Arte gráfica: Ivana Cubas Estagiárias: Andressa Marques, Carol Corrêa e Daniela Zuliani Produção: Salão do Movimento



Textos falados e projetados: Água Viva, Clarice Lispector www.salaodomovimento.art.br











CCSP, Espaço Cênico Ademar Guerra, 08 de Setembro, quarta-feira, 17h e 19h
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨



... e para compartilhar mais do que lágrimas? - 40 minutos, Livre



Núcleo Fronteiras/SP











Segunda parte de trilogia “lar” do Núcleo Fronteiras. Antecedido por As minhas tuas lágrimas, cuja narrativa delineava-se a partir da construção de uma casa-instalação onírica, habitada por um homem e uma mulher. Zona de exposição, confronto e conforto.



O público é convidado a passear, bisbilhotar. Assim, a questão “como viver junto?” incorpora a relação performers-público, que é convidado a compartilhar essa intimidade. Contemplado pelo Edital 16 do PROAC para Novas Produções em Dança da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo 2009 com o projeto PARA COMPARTILHAR MAIS DO QUE LÁGRIMAS.







No processo de criação, a afirmação que denominava o projeto transformou-se na questão que agora nomeia o espetáculo. Da dúvida, emerge o espaço para o novo: a casa-onírica passa a ser espaço compartilhado por todos. Não há mais separação entre técnicos e intérpretes. Dois homens, duas mulheres, femininos, masculinos. Mais possibilidades de encontros (e desencontros). Pares ímpares, perfeitos imperfeitos. Como combinar os pronomes possessivos? Qual o nosso fronte: coletivo e individual?







Ficha Técnica



Direção: Gisele Calazans Performers: José Silveira, Larissa Salgado, Mariana Vaz e Tomás Rezende Instalação: José Silveira, Mariana Vaz e Tomás Rezende Pensamento espacial e Criação de Luz: José Silveira Trilha Sonora: Natália Mallo Figurino: Larissa Salgado e Núcleo Fronteiras Arte gráfica: José Silveira Elaboração de projeto e coordenação de produção: Mariana Vaz – PAROLE Produção: Núcleo Fronteiras Realização: Secretaria de Estado da Cultura e Cooperativa Paulista de Teatro











CCSP, Sala Adoniran Barbosa, 08 de Setembro, quarta-feira, 20h







Diários de Viagem - 60 minutos, livre



OMSTRAB/SP







O novo trabalho do OMSTRAB mistura ficção e realidade num espetáculo de Dança Contemporânea e Musica especialmente composta e executada ao vivo. As imagens do espetáculo percorrem situações vividas pelo Núcleo em viagens pelo Brasil e por países de três continentes, através de depoimentos dos artistas e situações cênicas que abordam a percepção espacial do tempo traduzida em movimento.











Ficha Técnica



Artistas: Alex Martins, Fabiana Granusso, Fernando Lee, Marcio Greyk, Pedro Peu, Silvana de Jesus, Suzana Bayona, Rogê, Vagner Cruz Músico convidado: Lloyd Bonnemaison Técnico de luz: Cris Souto Técnico de som: Betinho Pamplona Vídeo: Osmar Zampieri Coreografia e Músicas Originais: Fernando Lee (exceto ‘Túnel’ de Nilson Dourado e Pedro Peu) Arranjos: Fernando Lee, Pedro Peu e Rogê Direção de Arte: Rodrigo Araújo Fotos: Gal Oppido Pesquisa de Figurinos: Adriana Vaz Ramos



Projeto de Luz: Marisa Bentivegna Produção: MB Produções Assistência de Produção: Suzana Bayona Assistência de Coreografia e Depoimentos: Alex Martins Direção e Produção Geral: Fernando Lee







CCSP, Espaço Cênico Ademar Guerra, 08 de Setembro, quarta feira, 21h







O mesmo lugar de sempre - 65 minutos, livre



J.Gar.Cia/SP





Estabelecer uma sociedade paralela com regras e deveres próprios é a meta de quatro homens aprisionados em um espaço delimitado por sua própria estrutura (uma arquibancada que será utilizada como cenário). Este ambiente restrito e desconhecido instaurará um clima de desejo, esperança, tensão e angustia, onde a espera constante será traduzida por seus movimentos e sensações. Toda esta atmosfera estará inspirada em uma pegada musical punk, ao som da banda londrina Sex Pistols, ícone do estilo.







Ficha técnica



Direção Artística, Concepção e Coreografia: Jorge Garcia Ensaiador: Natália Mendonça Elenco: Alexandre Magno, Jorge Garcia e Vitor Bassi Cenografia: Ateliê Latintota Figurino: João Pimenta Trilha Sonora e Música ao vivo: Pedro Moreira Operação de Luz: André Boll Produção Executiva e Assistente de Produção: CRIA DA CASA PRODUÇÕES CULTURAIS (Priscila Wille e Marina Massoli) Design Gráfico: Sonaly Macedo Registro Fotográfico: Silvia Machado Registro em Vídeo: Osmar Zampieri







TD, 09 de setembro, quinta feira, 21h



Po-éticas - 50 minutos, livre



Cia. Mariana Muniz de Teatro e Dança/SP







Po-éticas é um projeto de dança que pretende resgatar os procedimentos criativos e poéticos de trabalhos solos de Mariana Muniz, criadora-intérprete com uma trajetória reconhecida no cenário da dança contemporânea brasileira.



É uma releitura e recriação de três destes projetos: Dantea, Túfuns e Rimas no Corpo, solos realizados pela criadora e intérprete, desde os anos 90 até hoje.



Trata-se de uma investigação criativa dos procedimentos adotados para concretização destes solos a partir de um mergulho nos temas e principais elementos impulsionadores destes trabalhos. O trabalho será realizado pelos integrantes femininos de sua companhia e sob a sua direção coreográfica.







Ficha Técnica



Concepção e Direção coreográfica: Mariana Muniz Assistência de direção: Cláudio Gimenez Criadores-intérpretes: Bárbara Faustino, Danielli Mendes, Thalita Souza, Lau Vicente Trilha sonora: Ricardo Severo Figurinos: Tânia Marcondes Aderecista: William Gama Cenário e fotografias: Cláudio Gimenez Iluminação: Ricardo Bueno Designer de imagens: Osmar Zampieri Design gráfico: Paula Viana Produção: José Renato F. de Almeida







TD, 10 de Setembro, sexta feira, 21h







Temporários escapes - PRÉ ESTREIA - 45 minutos, 12 anos



Tatiana Melitello/SP







Temporários Escapes propõe uma reflexão poética sobre as sensações experimentadas nos grandes centros urbanos. O ritmo da metrópole pulsa na dramaturgia deste solo de dança por meio de uma movimentação ora urgente e calculada, ora fluida e suavizada, que recria as contradições desta experiência urbana que ao mesmo tempo seduz e sufoca.







Ficha técnica



Concepção, Criação e Interpretação: Tatiana Melitello Vídeo- Imagem: Rodrigo Gontijo Trilha Sonora: Dudu Tsuda Designer Gráfico: Daniel Trench Fotos: Edson Kumasaka Operador de som e vídeo: Rogério Salatini Colaboração: Lucia Yañez Produção: Amaury Cacciacarro Filho











TD, 11 de setembro, sábado, 20h







Experimentações cinematográficas ou o que você faz quando todas as imagens do mundo não cabem em uma ideia? 55 minutos, livre



Núcleo Cinematográfico de Dança/SP





Experimentações Cinematográficas... tem como ponto de partida o conflito de um corpo em sua busca compulsiva por organizar aquilo que parece “estar fora do lugar”, aquilo que parece não ter cabimento. É, principalmente, uma ação que nos permite questionar nosso próprio fazer, ao colocarmos o corpo em atrito entre o cinema e a dança. O que você faz quando se está fora do lugar? Quando o corpo parece não ter cabimento? Quando todas as imagens do mundo não cabem em uma ideia?







Ficha técnica



Concepção e Criação: Núcleo Cinematográfico de Dança Direção, Coreografia e Interpretação: Mariana Sucupira e Maristela Estrela Concepção Musical: Núcleo Cinematográfico de Dança Trilha original e mixagens: Ramiro Murillo Guitarra e violão: Ramiro Murillo Violoncelo: Érica Manfredini Voz: Mariana Sucupira, Maristela Estrela e Ramiro Murillo Criação de luz: André Boll Concepção cenográfica: Núcleo Cinematográfico de Dança Criação de Cenografia: José Romero e Luciano Bussab Imagens e criação visual: Mariana Sucupira Criação de figurino: Maristela Estrela



Produção: Mariana Sucupira Produção da circulação: Anderson do Lago Leite Estagiária: Júlia Santos Apoio: Universidade Anhembi Morumbi cinedanca.blogspot.com











TD, 12 de Setembro, domingo, 19h







Público – 3 atos e um livreto - PRÉ ESTREIA - 45 minutos, 12 anos



Concepção e direção: Adriana Grechi/SP





Cinco solos foram criados a partir de sensações relacionadas às trajetórias de dança dos integrantes do grupo. Os percursos, em cena, acontecem simultaneamente e se permeiam configurando outras relações. Os espaços de intimidade foram explorados, assim como o contato entre as pessoas. Permeabilidades. Intensidades. Ficção como realidade no corpo. Realidade como pura ficção. Modos de acionar a percepção.



Público... é uma reconstrução coletiva das histórias pessoais em que a autoficção é explorada como possibilidade de intensificar o momento presente e ressignificar a própria experiência com a pergunta ‘Por que eu faço dança?’



Ficha técnica



Concepção e direção: Adriana Grechi Criação e dança: Andréia Guilhermina, Júlia Rocha, Karime Nivoloni, Nina Giovelli e Valeska Figueiredo Colaboração nos textos e livreto: Renato Jaques Orientação de Vídeo: Rodrigo Gontijo Trilha sonora: Dudu Tsuda Músicas: Carmen (Georges Bizet), Take This Waltz (Leonard Cohen), What a Wonderful World (Bob Thiele) Desenho de Luz: André Boll Operação de som e técnica: Rogério Salatini Fotos: Edson Kumasaka e Jônia Guimarães Arte gráfica: Fernando Bonini Produção: Amaury Cacciacarro Filho



Estação da Luz, 09 de Setembro, quinta, 15h







Duas Memórias - 50 minutos, livre



Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros/SP







Duas Memórias nasce da leitura corporal e sensorial de espaços históricos e de grande circulação de pessoas, acompanhada das obras da compositora Chiquinha Gonzaga (final do séc. XIX e início do séc. XX) que foram adaptadas para a formação instrumental do grupo (piano, violino, escaleta e percussão) e podem ser executadas tanto na versão original, como transformadas por meio da improvisação.







A improvisação é a linguagem pesquisada pela companhia como meio de construção do repertório de movimento e musical e utilizada na própria cena, como fim. Através dela, o grupo busca distribuir-se pelo local, causando a diluição do foco, chamando a atenção do público para diversos ângulos do espaço, enquanto o ressignifica por meio da ação de criar imagens poéticas no momento da cena. O figurino concebido por Iara Wisnik traz as formas das roupas da época de Chiquinha Gonzaga para uma linguagem contemporânea.







Duas Memórias tem apoio do ProAC (Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura) e do IV Edital do Programa Municipal de Fomento à Dança.







Ficha técnica



Direção: Alex Ratton Sanchez Intérpretes-criadores: Carolina Callegaro, Ciro Godoy, Clara Gouvêa, Débora Marcussi e Laila Padovan Figurino: Iara Wisnik Design de luz: André Boll Produção Executiva: Zeca Duarte Design Gráfico e Fotografia: Fernando Sciarra







Locais das apresentações







TD – Teatro de Dança



Avenida Ipiranga, 344 - Subsolo, Edifício Itália - São Paulo, SP, Brasil (Metrô República)



Telefone da bilheteria: 2189 2555 Informações: 2189 2557 Capacidade: 278 lugares Ingresso: R$ 4,00 e R$ 2,00 (meia) Estacionamento: R$ 15,00 com manobrista



Bilheteria, abertura: Vendas para o dia do espetáculo - 4ª a domingo, a partir das 14h



Ar-condicionado e Acessibilidade para pessoas com necessidades especiais







Estação da Luz



Praça da Luz, 1 - Luz - São Paulo (Metrô Luz)



Telefone: 0800-55-0121



E-mail: usuario@cptm.sp.gov.br



Site: www.estacaodaluz.org.br



Grátis







Centro Cultural São Paulo



Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso – São Paulo, SP, Brasil (Metrô Vergueiro)



Telefone para informação:



Entrada Franca - Ingressos distribuídos a partir das 16h



Lotação diferenciada:



Rútilo Nada 70 pessoas



... e para compartilhar mais do que lágrimas? 35 pessoas



Diários de Viagem 400 pessoas



O mesmo Lugar de Sempre 100 pessoas











TD - Teatro de Dança - Secretaria de Estado da Cultura



APAA - Associação Paulista dos Amigos da Arte



www.teatrodedanca.org.br








 

terça-feira, 10 de agosto de 2010

PREMIADAS









O Festival de Dança de Joinville mais uma vez mostra a importância no cenário internacional. Este ano, indicou duas bailarinas para dois dos maiores concursos de dança do mundo. A carioca Mayara Magri, da Companhia Petite Danse, foi eleita melhor bailarina e indicada para participar do Grand Prix Lausanne, na Suíça, que premia os melhores bailarinos com uma bolsa de estudos de um ano em uma renomada escola de dança. Ela recebeu a premiação das mãos do conselheiro artístico João Wlamir . A outra bailarina é a paulista Paula Alves, da Especial Academia de Ballet de São Paulo, que conquistou dois primeiros lugares e foi indicada para participar da Competição Internacional Youth American Grand Prix, de Nova Iorque, que também premia os melhores com bolsas de estudos. As duas bailarinas terão todas as despesas pagas para a próxima fase do concurso.

CHEGOU AO FIM!!!

A 28ª edição do Festival de Dança de Joinville chega ao fim e é hora de saber quais foram os estados que mais se destacaram em premiações. Dos 21 estados brasileiros que tiveram grupos participantes, 12 foram premiados em 1º, 2º ou 3º lugar. Além deles, um grupo do Paraguai e outro da Argentina também voltaram para casa com um título do maior Festival de Dança do Mundo. São Paulo, Santa Catarina e Rio de Janeiro foram os estados que mais tiveram seus talentos reconhecidos e premiados nos palcos do Centreventos Cau Hansen e do Teatro Juarez Machado.
O Estado de São Paulo foi o que mais ficou nas primeiras colocações no Festival de Dança de Joinville. Ao todo, os paulistas estiveram entre os três primeiros colocados por 55 vezes na Mostra Competitiva e nove no Meia Ponta. Foram 17 títulos de campeão para o estado, além do prêmio especial de melhor grupo, melhor bailarino e coreógrafo revelação do Festival. Dos 17 primeiros lugares, 14 foram na Mostra Competitiva e três no Meia Ponta.
Santa Catarina ficou em segundo lugar em premiações. O Estado obteve 22 coreografias entre os melhores colocados na Mostra Competitiva, com quatro primeiros lugares além do prêmio revelação em 2010. Os grupos de dança catarinenses fizeram bonito no palco do Centreventos Cau Hansen, nas oito noites competitivas do maior festival de dança do mundo as companhias do estado estiveram entre as três primeiras colocadas por 22 vezes. Destes, quatro foram como primeiros lugares. Os grupos de Santa Catarina também fizeram bonito no Meia Ponta, no Teatro Juarez Machado. Foram três primeiros lugares, dois segundos e quatro terceiros na competição para crianças de 10 a 12 anos.
Os talentos cariocas de todas as idades também subiram nos palcos do Festival.  Ao todo, 32 grupos do Rio de Janeiro foram selecionados e se apresentaram na Mostra Competitiva, no Meia Ponta e na programação dos Palcos Abertos somando quase 90 coreografias. Os cariocas levaram para casa quatro primeiros lugares na Mostra Competitiva, além de uma posição de destaque no Meia  Ponta.
Os grupos representantes do Amazonas, Ceará, Paraná, Distrito Federal, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, Espírito Santo também receberam premiações. Todos que ficaram em primeiros lugares já estão com a vaga garantida para se apresentarem no Festival de Dança de 2011.

Confira abaixo as premiações por Estado e País:
Amazonas
Dança de Rua – Solo Masculino – Avançada
2º lugar – Grupo La Salle Cia de Dança – Amazonas – Coreografia: Êxtase
Argentina
Jazz – Solo Masculino – Avançado
3º lugar – MDQ Dance – Argentina – Coreografia: Procurando
Ceará
Jazz – Conjunto – Sênior ?
3º lugar – Cia de Dança Vera Passos – CE – Coreografia: Anjos da Noite
Sapateado - Conjunto - Sênior
1º lugar – Cia. de Dança Vera Passos – CE – Coreografia: Mix Arte
3º lugar – Cia. de Dança FB – CE – Coreografia: Neon
Sapateado - Conjunto - Avançada
1º lugar – Cia. de Dança Vera Passos – CE – Coreografia: Tapnologic
Distrito Federal
Dança de Rua – Trio – Avançada
2º lugar – Grupo Rota Brasil – Distrito Federal – Coreografia: Container Sonoro
Espírito Santo
Balé Clássico – solo feminino júnior
3º lugar – Balé da Ilha – Vila Velha (ES) – Coreografia Estúdio 3x4
Balé Clássico – solo feminino - sênior
1º lugar – Balé da Ilha– Vila Velha (ES) – Coreografia: Trajeto
Balé Clássico de Repertório – Variação Feminina – Sênior?
3º lugar – Balé da Ilha – ES – Coreografia: Paquita
Meia Ponta:
Balé Clássico Duo – Infantil
1° lugar – Grupo Jovem Espaço da Dança (ES) – Coreografia: Tarantella
Goiás
Balé Clássico de Repertório – Variação Masculina – Júnior
1º lugar – Balé Juvenil Centro Cultural Gustav Ritter – GO – Coreografia: Harlequinade
3º lugar – Corpo de Baile Juvenil da Escola de Arte Veiga Valle – GO – Coreografia: Carnaval em Veneza
Balé Clássico de Repertório – Pas-de-Deux – Júnior
3º lugar – Balé Juvenil Centro Cultural Gustav Ritter – GO – Coreografia: Pas Paysan
Meia Ponta:
Balé clássico (solo feminino infantil)
2º lugar – Corpo de Baile Juvenil da Escola da Arte Veiga Valle (Goiás) Coreografia: Contraponto
Balé Clássico de Repertório – Variação Feminina – Infantil
1° lugar – Corpo de Baile Juvenil da Escola de Arte Veiga Valle (GO) – Coreografia: Cupido
Mato Grosso do Sul
Dança Contemporânea – Duo – Avançado
3º lugar – Cia de Dança Universidade Católica Dom Bosco – MS – Coreografia: De Todo Íntimo
Minas Gerais
Dança de Rua – Trio – Avançada
3º lugar – Grupo Rose Ballet Grupo Dança/Sub Urbano – Minas Gerais – Coreografia: I’Am Sub Urbano
Balé Clássico de Repertório – Conjunto – Avançado
3º lugar – Escola de Dança do Teatro Municipal de Nova Lima – MG – Coreografia: Coppélia – Amigas
Balé Clássico – Trio – Categoria Avançada
3º lugar- Escola de Dança do Teatro Municipal de Nova Lima- MG- Somos Assim
Balé Clássico de Repertório – Variação Masculina – Júnior
2º lugar – Vortice Escola de Danças – MG – Coreografia: O Quebra Nozes
Sapateado - Conjunto - Avançada
2º lugar – Minas Tênis Clube – MG – Coreografia: Bardos
Paraguai
Balé Clássico – solo feminino júnior
3º lugar – Marisol Pecci Danza – Assunção - Paraguai – Coreografia: Llena de Gracia
Paraná
Dança Contemporânea - Conjunto – Avançada
3º lugar – Cia Eliane Fetzer – Paraná – Coreografia: Nihim Segure Por Um Instante
Dança de Rua – Solo Masculino – Sênior
2º lugar – Grupo Street Extreme – Paraná – Coreografia: Mais um minuto para minha hora
Dança Contemporânea – Solo Feminino – Avançado
3º lugar – Cia Eliane Fetzer – PR – Coreografia: Enquanto Você Não Vem
Jazz – Solo Feminino – Avançado ?
3º lugar – Eliane Fetzer Centro de Dança – PR – Coreografia: Cabeça de Gueixa Corpo de Mulher
Dança Contemporânea – Solo Masculino – Avançado
2º lugar – Soma3 Grupo de Dança – PR – Coreografia: Promenade
3º lugar – Cia. Eliane Fetzer - PR – Coreografia: Por um Instante
Meia Ponta:
Balé clássico (conjunto infantil)
3º lugar – Juvenil do Teatro Guaíra (Curitiba) – Coreografia: Era uma vez
Balé Clássico Trio – Infantil
2° lugar – Grupo Juvenil do Guaíra (PR) – Coreografia: Dançando no Tempo
Rio de Janeiro
Dança Contemporânea - Conjunto – Avançada
2º lugar – Cia Pés pra Toda Obra – Rio de Janeiro – Coreografia: Rotar
Balé Clássico de Repertório – variação masculina sênior
2º lugar – Grupo Cultural de Dança – Ilha Ltda. – RJ – Coreografia: Chamas de Paris
3º lugar – Conservatório Brasileiro de Dança – RJ – Coreografia: Grand Pas Classique
Balé Clássico de Repertório – Grand Pas De Deux – sênior
1º lugar – Cia Petit Danse – RJ – Coreografia: Cisne Negro
2º lugar - Conservatório Brasileiro de Dança – RJ – Coreografia: Bodas de Aurora
Balé Clássico de Repertório – Conjunto – Avançado
1º lugar – Cia do Conservatório Brasileiro de Dança – RJ – Coreografia: A Flauta Mágica
2º lugar – Escola de dança Petit Danse – Tijuca – RJ – Coreografia: Giselle – 2º Ato
Balé Clássico – solo feminino júnior
2º lugar – Escola de Dança Petite Danse – Barra – Rio de Janeiro (RJ) – Coreografia: Prelude
Balé Clássico – solo feminino - sênior
2º lugar – Cia. “Petite Danse” Rio de Janeiro (RJ) – Coreografia: Minute Rag
3º lugar – Ballet “Petite Danse” – Rio de Janeiro (RJ) – Coreografia: Marcha Sinuosa
Balé Clássico – Conjunto – Avançado
3º lugar – Cia do Conservatório Brasileiro de Dança – Rio de Janeiro (RJ) – Coreografia: Footage
Balé Clássico de Repertório – Variação Feminina – Sênior?
1º lugar – Cia. Petite Danse – RJ – Coreografia: La Bayadère - Gamzatti?
Balé Clássico de Repertório – Pas-de-Trois – Avançado?
2º lugar – Escola de dança Petit Danse – Tijuca – RJ – Coreografia: The Fairy Doll
Jazz – Duo – Avançado ?
2º lugar – Cia Nós da Rua – RJ – Coreografia: Lembrança de um Adeus ?
3º lugar – Escola de Dança Marta Bastos – RJ – Coreografia: Sentir e Só
Balé Clássico – Conjunto – Categoria Júnior
3º lugar – Juvenil do Conservatório Brasileiro de Dança – RJ- Estudos
Balé Clássico – Solo Masculino – Categoria Sênior
2º lugar – Grupo Cultural de Dança –Ilha Ltda- RJ- Third Signal
Balé Clássico – Conjunto –Categoria Sênior
2º lugar – Conservatório Brasileiro deDança – RJ- Bonito
Balé Clássico de Repertório – Conjunto – Júnior
2º lugar – Juvenil do Conservatório Brasileiro de Dança – RJ – Coreografia: Coppélia – Balada do Trigo
Balé Clássico de Repertório – Variação Masculina – Avançado
1º lugar – Mirim do Conservatório Brasileiro de Dança – RJ – Coreografia: Lá Syphides
Balé Clássico de Repertório - Variação Feminina - Avançada
3º lugar – Escola de Dança Petite Danse – Tijuca - RJ – Coreografia: La Esmeralda
Meia Ponta:
Balé clássico (solo feminino infantil)
3º lugar – Mirim do Conservatório Brasileiro de Dança (Rio de Janeiro) – Coreografia: La Espanholita
Balé clássico (conjunto infantil)
2º lugar – Cia Petite Danse Infantil (Rio de Janeiro) – Coreografia: Nos Passos da Dança
Balé Clássico de Repertório – Conjunto – Infantil
1° lugar – Cia Petite Danse Infantil (RJ) – Coreografia: O Quebra Nozes Amigas de Clara
Rio Grande do Sul
Dança de Rua – Duo – Avançada
1º lugar – Grupo Duo Mendes Cia de Dança – Rio Grande do Sul – Coreografia: Reality Game
Sapateado - Conjunto - Avançada
2 º lugar – Laboratório da Dança – RS – Coreografia: Slide
Dança Contemporânea – Solo Feminino - Sênior
2º lugar – Ballet Margô Brusa – RS – Coreografia: Gaudéria
Dança Contemporânea – Solo Masculino – Avançado
1º lugar – Art Dança Espaço Cultural – RS– Coreografia: Consequência do Som – Parte V
Santa Catarina
Dança de Rua – Trio – Sênior
2º lugar – Grupo de Dança Kaiorra – Santa Catarina – Coreografia: Elemento X
Dança de Rua - Conjunto – Sênior
2º lugar – Grupo de Dança Millennium – Santa Catarina – Coreografia: Somos Todos Um
Dança de Rua – Solo Masculino – Avançada
3º lugar – Grupo Cia Join Dance – Santa Catarina – Coreografia: Reflexos
Dança de Rua – Duo – Avançada
3º lugar – Grupo Estúdio de Dança Teatro Alfredo Sigwalt – Santa Catarina – Coreografia: Tardes em Sépia
Dança Contemporânea – Solo Feminino – Avançado
2º lugar – Taipas Cia de Dança – SC – Coreografia: Anúncio de Antiquário
Dança Contemporânea – Duo – Avançado
2º lugar – Grupo da Dança Kaiorra – SC – Coreografia: Versos Íntimos
Danças Populares – Conjunto - Júnior
1º lugar – Programa Dançando na Escola. Escola Governador Pedro Ivo Campos – Joinville (SC) – Coreografia: Bumba-Meu-Boi
2º lugar – Grupo Folclórico Ítalo Brasileiro Nova Veneza – Nova Veneza (SC) – Coreografia: La Bella Gigogin
Danças Populares – Conjunto - Sênior
1º lugar – Grupo de Dança da Academia Corpo Livre – Joinville (SC) – Coreografia: Parintins, Magia Amazônica
3º lugar – Grupo Folclórico Ítalo Brasileiro de Criciúma – Criciúma (SC) – Coreografia: La Bella Risca.
Jazz – Conjunto – Sênior ?
1º lugar – Grupo de Dança Kaiorra – SC – Coreografia: Raça, Swing e Cor?
Balé Clássico- Solo Masculino- Categoria Avançada
3º lugar- Estúdio de Dança Teatro Alfredo Sigwalt- SC- Vivaldiano
Balé Clássico- Solo Feminino - Categoria Avançada
3º lugar – Grupo de Dança Fernando Lima- SC- Prece
Danças Populares – Conjunto – Categoria Avançada
1º lugar –Grupo Folclórico Ítalo Brasileiro Nova Veneza- SC- Carnevale di Venezia Nel Palazzo Del Doge-
2º lugar – Malhadança- SC- Carimbó
Jazz – Trio – Avançado
3º lugar – Grupo de Dança Fernando Lima – SC – Coreografia: Entre Três Caminhos
Sapateado - Conjunto - Júnior
3º lugar – Grupo Infantil Kaiorra – SC – Coreografia: A Notícia
Sapateado – Trio –Sênior
3º lugar – Grupo de Dança Kaiorra – SC – Coreografia: Três é Demais!
Sapateado - Duo - Avançada
3º lugar – Escola Municipal de Ballet – SC – Coreografia: Irmãs Metralhas
Dança Contemporânea – Trio - Avançada
1º lugar – Grupo de Dança Fernando Lima – SC – Coreografia: Retalhos
Dança de Rua – Conjunto - Avançada
2º lugar – Hip Hop Soul – SC – Coreografia: Movdanças
3º lugar – Cia Join Dance – SC – Coreografia: Connection
Meia Ponta:
Balé clássico (solo feminino infantil)
1º lugar – Stúdio de Dança Mery Rosa (Santa Catarina) – Coreografia: Polia
Sapateado (conjunto infantil)
3º lugar – Grupo Infantil Kaiorra (Santa Catarina) – Coreografia: Nos Tempos da Escola
Danças populares (conjunto infantil)
1º lugar – Grupo Folclórico Ítalo Brasileiro Nova Veneza (Santa Catarina) – Coreografia: Os Camponeses Dançam no Vale das Flores
2º lugar – Escola Municipal de Ballet (Santa Catarina) – Coreografia: Á Moda Italiana
3º lugar – Grupo de Dança da Academia Corpo Livre (Santa Catarina) – Coreografia: Tradição Paraguaia
Dança de Rua Conjunto – Infantil
1° lugar – Hip Hop X-Style (SC) – Coreografia: Dançarinos Urbanos
3° lugar – Grupo de Dança da Academia Corpo Livre (SC) – Coreografia: Na onda do Hip Hop
Jazz Conjunto – Infantil
2° lugar – Grupo de Dança Camila Lorenzetti (SC) – Coreografia: Entre Bonecas e Pirulitos
3° lugar – Grupo de Dança Recriarte (SC) – Coreografia: Brincadeira e Dança
São Paulo
Dança Contemporânea - Conjunto – Sênior
2º lugar – Grupo Pavilhão D – São Paulo – Coreografia: Biocenose II
Dança Contemporânea - Conjunto – Avançada
1º lugar – Grupo Voluta – São Paulo – Coreografia: Séquito
Dança de Rua – Solo Masculino – Sênior
3º lugar – Grupo Projeto de Dança Primeira Impressão – São Paulo – Coreografia: Pinóquio
Dança de Rua - Conjunto – Sênior
3º lugar – Grupo Escola de Dança Kahal – São Paulo – Coreografia: Hip Hop Our Root
Dança de Rua – Solo Masculino – Avançada
1º lugar – Grupo Cia de Dança Kahal – São Paulo – Coreografia: Desmembrando
Dança de Rua – Duo – Avançada
2º lugar – Grupo Cia de Dança Kahal – São Paulo – Coreografia: Instru-metal
Dança de Rua – Trio – Avançada
1º lugar – Grupo D-Efeitos – São Paulo – Coreografia: Bytes
Balé Clássico de Repertório – Grand Pas De Deux – sênior
3º lugar – Ballet Kleine Szene – SP – Coreografia: Carnaval em Veneza
Dança Contemporânea – Solo Feminino – Avançado
1º lugar – Núcleo de Dansh – SP – Coreografia: Água e Sal
Dança Contemporânea – Duo – Avançado
1º lugar – Grupo IOA Dança – SP – Coreografia: Segundo Toque
Balé Clássico – Conjunto – Avançado
2º lugar – Cia Pavilhão D – São Paulo (SP) – Coreografia: Anton
Danças Populares – Conjunto - Júnior
3º lugar – Grupo Especial da Escola Municipal de Bailado de Ourinhos – Ourinhos (SP) – Coreografia: Polianka
Danças Populares – Conjunto - Sênior
2º lugar – Grupo Juvenil da Escola Municipal de Bailado de Ourinhos – Ourinhos (SP) – Coreografia: Jota, Alma da Espanha
Balé Clássico de Repertório – Variação Feminina – Sênior?
3º lugar – Ballet Kleine Szene – SP – Coreografia: Coppelia Valsa?
Balé Clássico de Repertório – Conjunto – Sênior?
2º lugar – Especial Academia de Ballet – SP – Coreografia: La Esmeralda?
3º lugar – Ballet Adriana Assaf – SP – Coreografia: Paquita
Balé Clássico de Repertório – Grand-Pas-de-Deux – Avançado?
3º lugar – Cia. de Ballet Adriana Assaf – SP – Coreografia: Quebra Nozes
Jazz – Conjunto – Júnior ?
3º lugar – Laboratório da Dança Fernanda Araújo – SP – Coreografia: No País das Maravilhas
Jazz – Conjunto – Sênior ?
2º lugar – Grupo Cristina Cará – SP – Coreografia: Improviso Limitado?
Jazz – Duo – Avançado ?
1º lugar – Cia. Pavilhão D – SP – Coreografia: Como se fosse...?
2º lugar – Grupo Cristina Cará – SP – Coreografia: Quando o Amor Vacila?
Balé Clássico – Trio- Categoria Júnior
3º lugar – Grupo Júnior da Fundação das Artes de São Caetano do Sul – SP – Em pausa
Balé Clássico – Conjunto –Categoria Sênior
3ºlugar- Pavilhão D-SP- Biocenose I
Balé Clássico- Solo Masculino- Categoria Avançada
2º lugar – Espaço Oficina do Corpo- SP –Volátil
Balé Clássico- Duo - Categoria Avançada
1º lugar – Espaço Oficina do Corpo- SP- Guia
Balé Clássico – Trio – Categoria Avançada
2ºlugar- Cia Pavilhão D- SP- Rematar
Danças Populares – Conjunto – Categoria Avançada
3º lugar – BBCAMP- SP- Bodas
Balé Clássico de Repertório – Pas-de-Deux – Júnior
1º lugar – Especial Academia de Ballet – SP – Coreografia: Paquita
2 º lugar – Ballet Kleine Szene – SP – Coreografia: Coppélia
Balé Clássico de Repertório – Conjunto – Júnior
3º lugar – Grupo Especial da Escola Municipal de Bailado de Ourinhos – SP – Coreografia: O Quebra Nozes – Amigas de Clara
Balé Clássico de Repertório – Variação Masculina – Avançado
2º lugar – Cia de ballet Adriana Assaf – SP – Coreografia: Chamas de Paris
3º lugar – Ballet Aracy de Almeida – SP – Coreografia: Suit Em Blanc - Mazurca
Jazz – Solo Masculino – Avançado
2º lugar – Espaço Oficina do Corpo – SP – Coreografia: Tal Qual
Jazz – Conjunto – Avançado
1º lugar – Cia Independente de Dança de São Paulo – SP – Coreografia: The New Bossa Nova
2º lugar – Grupo Cristina Cará – SP – Coreografia: In-Tenso
3º lugar – Grupo Stúdio A Camila Just Ballet – SP – Coreografia: Across the Limits
3º lugar – Ballet Ana Araújo - SP – Coreografia – Cinética
Balé Clássico de Repertório - Variação Feminina - Júnior
1º lugar – Especial Academia de Ballet – SP – Coreografia: Études
2º lugar – Academia de Ballet Elisa – SP – Coreografia: La Fille Mal Gardée
3º lugar – Ballet Kleine Szene – SP – Coreografia: La Fille Mal Gardée
Balé Clássico de Repertório - Variação Feminina - Avançada
2 º lugar – Ballet Aracy de Almeida – SP – Coreografia: Suit En Blanc – La Flute
Sapateado - Conjunto - Júnior
1º lugar – Sheila’s Ballet – SP – Coreografia: Se me derem corda
2º lugar – Juvenil do Grupo Raça Centro de Artes – SP – Coreografia: Bobo da Corte
Sapateado – Solo Feminino – Sênior
2º lugar – Sheila’s Ballet – SP – Coreografia: Umsomprasapatear
Sapateado - Solo Masculino - Sênior
1º lugar – BBCamp – SP – Coreografia: Momento intimista
Sapateado - Conjunto - Sênior
2º lugar – Grupo Corpo Livre – SP – Coreografia: Bambusa
Sapateado - Solo Masculino - Avançada
1º lugar – Monique Paes Studio de Dança – SP – Coreografia: Acluofóbico
2 º lugar – Grupo Independente Tap Danç’arte – SP – Coreografia: Partido Alto
Sapateado - Duo - Avançada
1º lugar – Grupo Cristina Cará – SP – Coreografia: Me deixe mudo
Sapateado - Conjunto - Avançada
3º lugar – Grupo de Dança Ana Araújo – SP – Coreografia: Ritmia
Dança Contemporânea – Solo Feminino - Sênior
3º lugar – DAC – Dança e Aperfeiçoamento Corporal – SP – Coreografia: Sentimento Antagônico
Dança Contemporânea – Trio - Sênior
2º lugar – Grupo Corpo Livre – SP – Coreografia: Três Formas
Dança Contemporânea – Trio - Avançada
2º lugar – Grupo Corpo Livre – SP – Coreografia: Estar Insoluto
Dança de Rua – Solo Feminino – Sênior
2º lugar – Escola de Dança Kahal – SP – Coreografia: Minha Utopia
Dança de Rua – Conjunto - Avançada
1º lugar – Cia de Dança Kahal – SP – Coreografia: Êxodo
Meia Ponta:
Balé clássico (conjunto infantil)
1º lugar – Balé Adriana Assaf (São Paulo) – Coreografia: Petits Danseurs
Sapateado (conjunto infantil)
1º lugar – Grupo Raça Centro de Artes (São Paulo) – Coreografia: The Magic Flower
2º lugar – Grupo Fábrica de Artes (São Paulo) – Coreografia: Tap das Flores
3º lugar – Corpo Livre (São Paulo) Coreografia: Fuga das Sardinhas
Balé Clássico de Repertório – Variação Feminina – Infantil
2° lugar – Petit Dans La Danse (SP) – Coreografia: Pas Paysan
3° lugar – Núcleo de Dança Nice Leite / Ilara Lopes (SP) – Coreografia: Pas Paysan
Balé Clássico de Repertório – Conjunto – Infantil
3° lugar – Escola Municipal de Bailado de Taboão da Serra (SP) – Coreografia: Despertar de Flora
Balé Clássico Trio – Infantil
3° lugar – Infantil do Grupo Raça Centro de Artes (SP) – Coreografia: La Valse
Jazz Conjunto – Infantil
1° lugar – Corpo de Baile IOA (SP) – Coreografia: Game

quinta-feira, 22 de julho de 2010

COMPANHIA SUISSA HERMESDANCE EM SÃO PAULO

TEATRO DE DANÇA recebe a companhia suíça Hermesdance,




que pela primeira vez se apresenta em solo brasileiro















A estreia da HERMESDANCE no Brasil coincide com o Dia Nacional da Suíça, uma

data tradicional



comemorada no país. Espetáculos se debruçam sobre a essência humana.






      (Coreografia_Karin_Hermes_-_Company_hermesdance_-_3_-_Dampfzentrale_Berne-Mars_2010_Foto_©_Oliver_Menge.)





A partir de 1º de agosto de 2010, o TEATRO DE DANÇA (instituição da


Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo e gerenciada pela Associação

Paulista de Amigos da Arte - APAA) recebe uma atração internacional. A

companhia suíça HERMESDANCE apresenta-se pela primeira vez no Brasil com

duas coreografias: “Betwixt and Between - Diálogo com ‘Rooms’” e “Hic

Salta!”. A temporada da companhia no TD termina no dia 8 de agosto.







Sob direção da coreógrafa e dançarina Karin Hermes, a HERMESDANCE tem uma

vasta bagagem que inclui espetáculos realizados em Paris, Israel, Alemanha e

diversas cidades da Suíça, sempre com trabalhos que giram em torno de temas

que discutem a essência humana.







A música, realizada ao vivo, tem um papel vital em seus espetáculos, sempre

criada em um estreito processo criativo e colaborativo com os músicos. Antes

de chegar aos palcos do TD, "Betwixt and Between” teve estreia em Paris, em

3 de abril de 2008 no Centro Nacional da Dança, Pantin/Paris/França, e na

Suiça, em Berna, no dia 24 de abril do mesmo ano, no Forum Zentrum Paul

Klee. “Hic Salta!“ é a última produção da companhia, estreou em 06 de março

de 2010, no Festival Heimspiel da Dampfzentrale em Berna/Suíça.







As coreografias



“Betwixt and Between - Diálogo com ‘Rooms’” – A partir de “Rooms”, de 1955,

de Anna Sokolow, Karin Hermes criou “Betwixt and Between - Diálogo com

‘Rooms’”. O tema básico de “Rooms” é a solidão humana em uma cidade grande.

Em 2008, Hermes criou a coreografia atual a partir de temas contemporâneos:

um tempo de globalidade e pluralidade em que as pessoas perdem-se num jogo,

tornando-se prisioneiros de suas próprias ansiedades. A partir do livro “Ich

und Du“ (Eu e Você), do filósofo Martin Buber, novas perspectivas se abriram

na atual coreografia, inspirando tanto a coreógrafa como os bailarinos no

processo criativo. Segundo Buber, “A palavra básica eu-você só pode ser

pronunciada pelo ser completo. A reunião e fusão para alcançar a totalidade

não pode ocorrer nunca através de mim e não pode ocorrer nunca sem mim. Tudo

que é real, é encontro.” A coreografia procura saber até que ponto a nossa

solidão é consequência do desejo da busca da totalidade.







“Hic salta!” é o resultado da pesquisa sobre a luta pelo Outro. Dança,

música, cenário e texto estão entrelaçados entre si. Música e texto

representam um papel central na coreografia. As três composições de Daniel

Glaus na “In hora mortis” e os fragmentos do texto de Elham Manea

representam um papel central na coreografia. O conflito com o Outro acontece

em cinco tentativas: 1. o Outro em Você; 2. o Outro em Mim; 3. o Outro em um

Terceiro; 4. o Outro no Fazer e 5. o Outro no Inatingível, no

Incompreensível. Estas cinco tentativas conectam-se umas às outras, não

podem ser isoladas, postas em sequência linear. Karin Hermes explica a busca

do Outro na coreografia: “Só podemos encontrar o Outro quando percebemos

nossa própria individualidade, quando percebemos que não somos um objeto

fixo, que podemos permitir complexidade, permanecer em movimento e deixar

crescer uma rede, um tecido. Este complexo entrelaçamento que surge é tão

invisível como o entrelaçamento das raízes sob a terra. Visíveis são somente

as flores. As tulipas e as flores utilizadas no espetáculo pertencem à

família dos lírios. As flores simbolizam a vida além da lógica binária, e o

lírio expressa a misericórdia”.







Breve Histórico da Companhia







Fundada em 2007, por Karin Hermes, que anteriormente foi diretora artística

do conjunto de repertório Atempo. Sediada em Berna, a Hermesdance

apresentou-se em Paris, Tel Aviv, Essen e várias cidades da Suíça. A

companhia e sua coreógrafa foram artistas residentes no Centro Nacional da

Dança em Pantin/Paris em 2008, tendo inovado o trabalho com as linguagens

coreográficas do século XX, desenvolvendo uma voz própria. Suas peças giram

em torno de temas sobre a essência humana. A música tem um papel vital

nestes trabalhos e é criada em estreita colaboração com os músicos, ao vivo.







Karin Hermes



Formada bailarina em Zurich na Balletakademie e na escola do American Ballet

em Nova Iorque, estudou dança educativa na escola de Música em

Colônia/Alemanha (Musikhochschule Köln), tendo se especializado em análise

do movimento/notação Laban no Conservatoire Nationale Supérieur de Musique

et de Danse de Paris.











Ficha Técnica de Betwixt and Between – ‘Diálogo com ‘Rooms’







Direção artística e coreografia: Karin Hermes



Música: Jonas Tauber, interpretado por Reto Staub e Ali Salvioni Dança:

Lucas Balegno, Sebastian Gehrke, Deborah Hofstetter, Agata Lawniczak, Marco

Volta Cenário: Jan Messerli Iluminação: Fiona Zolg Costumes: Nathalie Pellon

Instalação de vídeo: Daniel Schneeberger Fotos: Marc Grémillon, Oliver

Menge, Vincent Jeannot Webmaster: Brainyweb Françoise Horle Gráfica: Lorenz

Jaggi Imprensa: Regula Jaun Organização da Turnê: Nathalie Chavanne







Uma co-produção de hermesdance com o Centro Nacional de Dança, Pantin/Paris







Ficha Técnica de Hic salta!







Direção artística: Karin Hermes



Coreografia: Karin Hermes, com colaboração dos bailarinos Lucas Balegno,

Sebastian Gehrke, Deborah Hofstetter, Agata Lawniczak, Marco Volta Música:

Daniel Glaus “In hora mortis” e improvisações interpretadas por Jonas

Tauber, Reto Staub e Ali Salvioni (live) Textos: Elham Manea Cenário: Carmen

Perrin. Costumes: Carmen Perrin, Nathalie Pellon Iluminação: Fiona Zolg

Florista: Salome Berger Imprensa: Regula Jauner Organização da turnê:

Nathalie Chavanne Webmaster: Françoise Horle Convidado no processo

artístico: Pierre Claver Mabiala Estagiária: Lydia Chrisman







Apoio para produção: Departamento de Cultura do Cantão de Berna, Comuna de

Berna, SWISSLOS, Secretaria de cultura da cidade de Berna, Pro Helvetia –

Fundação Cultural Suíça, Migros Fundação Cultural, SIS – Fundação suíça de

intérpretes, Créafloristique Berna, Fundação Stanley Thomas Johnson. Uma

produção de hermesdance.







1 a 8 de agosto – terça, quarta e sexta às 21h, sábado às 20h, domingo às

18h



60 minutos, livre, entrada franca







ESTREIA NO BRASIL dia 1º de Agosto de 2010







Cia. Hermesdance / Berna – Suíça





Direção: Karin Hermes










TD - Teatro de Dança - Secretaria de Estado da Cultura



APAA - Associação Paulista dos Amigos da Arte



Avenida Ipiranga, 344 - Subsolo, Edifício Itália - São Paulo, SP, Brasil -

Metrô República - Email:

info.teatrodedanca@apaa.org.br Telefone da bilheteria: 2189 2555 ///

Informações: 2189 2557 Capacidade: 278 lugares/Ar-condicionado

///Acessibilidade para pessoas com necessidades especiais ///

Estacionamento: R$ 15,00 com manobrista /// Bilheteria, abertura: Vendas

para o dia do espetáculo - 4ª a domingo, a partir das 14h///

www.teatrodedanca.org.br







O Teatro de Dança tem apoio da Folha de São Paulo, Leonor Flores, Circolo

Italiano, Luna Di Capri e Planeta´s. No programa "Prêmio Teatro de Dança",

conta com o apoio do SESC São Paulo e da Secretaria Municipal de Cultura.

FESTIVAL DE DANÇA DE JOINVILLE 2010

Acompanhem através do site do Festival de Joinville tudo que está acontecendo e irá acontecer:

http://www.festivaldedanca.com.br/2010/index.php



Bom divertimento!

CURSOS E OFICINAS JOINVILLE 2010

Festival de Dança de Joinville 2010 - Cursos e Oficinas de 22 a 30 de Julho/2010




Apenas nos Cursos e Oficinas são 1.690 vagas distribuídas em 50 turmas de 14 cursos, com 31 professores, englobando desde o balé clássico até jazz, contemporâneo, sapateado e dança de rua.



Trata-se de uma ampla programação didático-pedagógica conduzida por professores especializados que são referência em dança no País e no exterior, o que reforça a natureza didática do Festival. Os cursos e oficinas este ano serão realizados na Escola Bolshoi, Casa da Cultura, Cidadela Cultural Antárctica, Centreventos Cau Hanses, Sociedade Ginástica de Joinville e Colégio Germano Timm.

Entre os destaques de 2010 está a oficina de Figurinos e Adereços, com a professora Rosa Magalhães, e o Circuito Broadway, que trará a magia dos musicais para os alunos do Festival, desenvolvendo seus conhecimentos nesta forte tendência nacional, com aulas de introdução à técnica vocal, respiração, ferramentas, estilo, aplicação, repertório e também direção de cena, de movimento, construção de personagem, entre outros. A oficina do Circuito Broadway será ministrada por Jarbas Homem de Mello, ator gaúcho que reside em São Paulo, pela atriz e coreógrafa Kátia Barros, e por Ronnie Kneblewski, bacharel em canto e especialista em voz. Todos com passagem por importantes musicais.

PROGRAMAÇÃO 2010

PERNAS PRO AR

“Pernas pro Ar” levanta plateia



                  (Foto Kátia Nascimento/Secom)




Claudia Raia levou público à loucura com musical na noite de aberturaQuando as luzes do espetáculo “Pernas pro Ar” acenderam, a plateia de 4,2 mil pessoas que lotavam o Centreventos Cau Hansen já tinha ido à loucura várias vezes. Se a noite de abertura do Festival de Dança de Joinville costuma arrancar gritos de êxtase da plateia, um musical com Claudia Raia presenteou quem esperava ansiosamente pela estrela da noite.



O primeiro musical apresentado em 28 anos de Festival começou após os discursos do presidente do Instituto Festival de Dança, Ely Diniz do prefeito Carlito Merss e do governador em exercício, José Trindade dos Santos.



As palavras “maior festival de dança do mundo”, presentes nos discursos e na apresentação da abertura oficial, também fizeram ecoar gritos e aplausos. Diniz repassou os números do evento: 1.836 coreografias, sendo 239 selecionadas para a mostra oficial e 511 para os 17 Palcos Abertos. Ele lembrou dos bailarinos que saíram de 21 Estados para dançar, prestigiar e participar das oficinas.

FESTIVAL DE DANÇA DE JOINVILLE 2010

Pois,é meus queridos seguidores,estou em falta convosco.
Pensei mesmo em desistir de continuar com este blog,mas pensando bem, e refletindo,achei meu dever continuar.
Perdoem a minha ausência.

Sucesso a todos....e estudem....

Ballet é estudo e dedicação...

Não desistam!




(Dolores)





                                                     (Foto Kátia Nascimento/Secom)










AQUI ESTÁ :



Joinville (21/07/2010) - Secretaria de Comunicação (Prefeitura Municipal de Joinville)




Diante de um Centreventos Cau Hansen lotado, o prefeito de Joinville, Carlito Merss, fez a sua saudação ao público e aos participantes da 28ª edição do Festival de Dança de Joinville, que abriu na noite desta quarta-feira (21/7) com o musical "Pernas pro Ar", da atriz e bailarina Claudia Raia. "Tenho certeza que esse festival vai, mais uma vez, entrar para a história", enfatizou.





                                         (Foto Kátia Nascimento/Secom)






Carlito destacou que o evento é referência nacional e internacional de difusão da arte, educação e cultura e deu alguns exemplos de profissionais que saíram de Joinville e fazem sucesso pelo mundo. Citou os alunos da Escola do Teatro Bolshoi que deram os primeiros passos aqui e hoje integram famosas companhias de dança da Polônia, Áustria, Rússia, Argentina e Canadá.






O prefeito de Joinville, Carlito Merss, e demais autoridades saudaram ao público e aos participantes da 28ª edição do Festival de Dança de Joinville, que abriu na noite desta quarta-feira (21/7) - Joinville, 22/Jul/2010 - Foto: Kátia Nascimento / SECOM






O prefeito também pediu aplausos para homenagear duas personalidades que deram contribuições ao festival e que faleceram há pouco tempo: Roseli Rodrigues, do Raça Companhia de Dança (SP), grupo que começou como concorrente do festival e tornou-se profissional, sendo reconhecido internacionalmente; e Roberto Pereira, carioca que lutou pela formação teórica e profissionalização do bailarino.



Carlito destacou que durante os 11 dias do festival, a urbanidade de Joinville, que é a 29ª economia do Brasil e terceira da região Sul, respira dança. "Somos referência nacional em qualidade de vida, e as duas melhores escolas públicas do Brasil são de Joinville, segundo o Ministério da Educação. Mas a área da cultura não fica para trás", diz, citando que em 2010 o Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (Simdec) distribuirá quase R$ 3 milhões - via edital e mecenato, para artistas locais - nas áreas do patrimônio, dança, música, literatura, cultura popular, teatro, circo, audiovisual e diversidade.



Para finalizar, Carlito ressaltou que a Prefeitura trabalha o desafio de fazer com que a cidade viva e respire dança 365 dias do ano. "Com ações integradas entre o Instituto Festival de Dança, a Fundação Cultural de Joinville, a Escola do Teatro Bolshoi e a parceria com diversas entidades, academias e escolas que trabalham a dança queremos fortalecer ainda mais Joinville como a Cidade da Dança", frisou.



Este ano, o Festival reúne aproximadamente 6.500 participantes. São 11 dias de espetáculos, que incluem apresentações especiais e a Mostra Competitiva, Mostra Contemporânea de Dança, Meia Ponta, a Rua da Dança, os Palcos Abertos, os Seminários de Dança e o Encontro das Ruas.

(Jornal da Prefeitura de Joinville)
















Festival de dança de Joinville terá 240 horas de atrações


Espetáculos têm a participação de bailarinos do Brasil e da América Latina.

A cidade de Joinville (SC) recebe até o próximo dia 31 o maior festival de dança do mundo, com cerca de 240 horas de espetáculos. É a primeira vez em 28 anos que o evento começa com um musical, o “Pernas para o ar”, estrelado pela atriz Cláudia Raia.





Não é um público qualquer. As melhores bailarinas do Brasil engrossam a fila para assistir a um espetáculo. São maioria na plateia. “A gente está assim: ‘ai, meu Deus, é agora, a gente tem que fazer tudo direitinho, esticar a ponta do pé...’”, diz a bailarina Elen Castro.




E até a estrela da noite balança. “Fazer um espetáculo para um público especializado dá um frizinho na barriga que vocês nem imaginam. Um medo de cair da pirueta, porque a gente quando quer se exibir piora tudo, vamos ver o que dá.”, afirma a experiente Cláudia Raia.




O musical “Pernas para o ar” já passou por 15 cidades brasileiras - e se encerra em Joinville. No palco, um show de flexibilidade dos bailarinos - que também são atores e cantores.



Até o fim do mês, sobem ao palco todos os gêneros da dança - do clássico ao contemporâneo. Vai ser uma maratona com bailarinos do Brasil e da América Latina, na cidade que é considerada a capital brasileira da dança.

(Noticia do jornal da Globo)